Militar News

Pilotos americanos começam a voar no A-29 Super Tucano do programa OA-X

Foto - USAF/Reprodução

O Programa OA-X está avançando e com isso a Sierra Nevada Corporation (SNC) começará a treinar pilotos da USAF no A-29 Super Tucano, a aeronave da Embraer, que é construída juntamente com a SNC, está participando do programa americano que tem como objetivo adquirir um treinador de baixo custo para ataques leves e observação para os EUA. Os treinos começaram na sexta-feira, dia 7 de Julho.

O A-29 Super Tucano que participa do programa é fabricado em Jacksonville, na Flórida. A Força Aérea já tinha certificado o Super Tucano para forças aéreas estrangeiras como a Afegã e a Libanesa. Mas para esse programa os pilotos precisam ser da USAF, pois caso ganhe a competição o A-29 voará nos EUA.

Além do A-29 Super Tucano existem mais dois concorrentes, o jato Textron AirLand e o turboélice Textron Beechcraft AT-6 Wolverine. A avaliação de ambas as aeronaves irá seguir desta forma, pilotos voarão e avaliarão cada aeronave. Os treinos no A-29 seguem até o dia 31 de julho no Novo México.

“Uma avaliação justa e completa favorecerá o A-29”, disse Taco Gilbert, vice-presidente sênior da área de negócios de inteligência, vigilância e reconhecimento (ISR) da SNC. “Quanto mais dura a avaliação, mais o A-29 brilhará”.

Os aviões Super Tucano do programa OA-X são diferentes dos fabricados pela Embraer que voam no Brasil, bem como aos que voam no Oriente Médio. Os Super Tucanos em questão estão sendo atualizados com links de dados específicos (Link 16), que possibilitam a comunicação do A-29 com as demais aeronaves da USAF. Além disso a SNC equipa a aeronave com proteção balística para os pilotos e itens de extrema importância da aeronave, como o sistema de propulsão.

O Comitê Serviços Armados do Senado já autorizou um valor de cerca de US$ 1,2 bilhão para o investimento em uma nova aeronave de ataque leve e observação para a USAF, e os baixos custos são umas das vantagens do A-29 Super Tucano. O custo de voo de aeronaves modernas como o F-35 e o F-22 Raptor custam em média de US$ 30000 a US$ 60000 por hora. Já a principal aeronave de ataque ao solo dos EUA, o Fairchild Republic A-10, custa por volta de US$ 17000 a hora de voo, afirma Taco Gilbert, vice-presidente sênior da SNC.

O planejamento dos EUA é adquirir até 300 novos aviões no programa OA-X para a USAF.

 

Via – Aviation Week

About the author

Redação Aeroflap

Redação Aeroflap

Newsletter

[newsletter_signup_form id=1]

Facebook

Em busca de hotel?


Share This