Foto - China Daily/via REUTERS

Na semana passada a United Aircraft Corporation (PJSC UAC) e a Corporação de Aeronaves Comerciais da China (COMAC) apresentaram o novo layout do jato CR929, projetado conjuntamente pela Rússia e pela China.

A UAC foi responsável por liderar a equipe de engenharia do CR929, enquanto a Comac adequou a configuração para facilitar o processo de fabricação para os fornecedores.

A configuração do CR929 será bem semelhante aos jatos do ocidente, sem as famosas “maluquisses” dos aviões russos. A equipe de design optou por um layout com asas enflechadas e motorização dupla, com um motor em cada asa, a cauda é com uma empenagem convencional, composta por um estabilizador vertical e abaixo, no mesmo nível da fuselagem, os dois estabilizadores horizontais.

De qualquer forma o design é bastante parecido com aquele apresentado em 2017 pela CRAIC, e até lembra um pouco o Boeing 787 na parte da seção frontal.

O trem de pouso principal apresenta uma configuração com quatro rodas por lado, totalizando oito rodas, e o trem de pouso dianteiro tem duas rodas

Agora os esforços da CRAIC se vão se concentrar na parte avançada do design, para incorporar esse desenho a uma aeronave funcional, com todos os desenhos da estrutura e a definição das tecnologias usadas nos sistemas principais.

Anteriormente a CRAIC anunciou que o novo conceito do CR929 se aproxima do tamanho do A330-900neo, e também vai precisar de um motor ainda mais potente, com 78000 lbs de empuxo, antes a UAC estimava um motor de 71000 lbs para a aeronave.

Apesar do tamanho maior, a estimativa de autonomia permanece a mesma, de 12000 km. De acordo com a CRAIC isso é suficiente para cumprir a maioria das rotas de longa distância, incluindo os voos da Ásia para os Estados Unidos.

A UAC também descreveu que a configuração básica de três classes, mesmo com o interior expandido, será para 281 passageiros, a Airbus oferece um interior padrão com 287 assentos em três classes, para o A330-900neo.

Comparação de tamanho. Tabela – Aviation Week

A aeronave tem agora 63,25 m (208 pés) de comprimento, disse a UAC. Isso é apenas 45 cm mais curto que o A330-900neo, apesar disso a largura da fuselagem é de quase 6 metros, maior que a concorrência e equiparável ao A350, uma aeronave de categoria superior. 

Vale ressaltar que no início do projeto o comprimento da aeronave era estimado entre 58 a 61 metros. A empresa não declarou se com esse aumento do tamanho vai manter as três variantes.

A finalidade da COMAC é usar o CR929 para substituir os A330-300 nas rotas domésticas de alta demanda da China, e também em voos internacionais. Essa medida também evita que as companhias aéreas escolham o Airbus A330-900neo e o Boeing 787.

O primeiro voo continua programado para 2023, é possível que a construção final da aeronave inicie já em 2021, caso o projeto não sofra atrasos. Até 2027 a CRAIC entregará o primeiro avião de série para um cliente, que provavelmente será uma companhia aérea da China.

A procura por fornecedores já iniciou, inclusive com participação de várias empresas do ocidente, com finalidade de promover a aeronave no mesmo mercado do Boeing 787 e do A330neo.

This post is available in: pt-brPortuguês