O projeto do KC-390 já corre pelo menos desde 2013 como uma novidade para a Força Aérea Brasileira, a principal missão do avião será substituir integralmente o C-130/KC-130 Hercules na FAB, e com alguns adicionais que o veterano não consegue oferecer atualmente.

Mas nesse ano, já perto da certificação do KC-390, a Rússia decidiu desenterrar o projeto do IL-276, um cargueiro de asa alta e dois motores capaz de transportar cerca de 20 toneladas de carga útil, ou 100 soldados. A parte que destacamos disso é a capacidade quase idêntica a do KC-390, até na autonomia estão estimando algo perto do avião brasileiro, cerca de 6000 quilômetros em voos de transferência de base.

Todos sabem, esses aviões militares russos de grande porte operam em poucos países, então isso não representa uma ameaça totalmente à Embraer. Mas podemos destacar o fato da Rússia não ter nenhum avião cargueiro de médio porte atualmente, por isso ela sempre usa o IL-76 quando precisa transportar cargas para zonas de difícil acesso.

É exatamente este último ponto que o novo IL-276 será focado, o pouso em pistas semi-preparadas. Ao mesmo tempo o  IL-276 substituirá com uma tecnologia superior as aeronaves russas da época soviética, como o An-12, An-32 e o An-72.

Esse projeto, idealizado no fim da década de 2000, agora está sendo negociado pelo Ministério de Defesa russo, que pode dar a decisão final sobre esse assunto. A Ilyushin espera vender pelo menos 55 aeronaves para o Governo Russo, visto que a Índia retirou seu interesse pela aeronave nos últimos anos.

Para diminuir os custos a Ilyushin quer equipar a aeronave com os mesmos motores do IL-76MD-90A, os Aviadvigatel PS-90A, cada um tem cerca de 32000 lbs de empuxo, um valor idêntico ao motor IAE que equipa o KC-390.

Com motores atualizados, aerodinâmica refinada e melhorias nos materiais empregados, o IL-276 terá seu foco na alta velocidade de cruzeiro (800km/h) e na economia de combustível, em comparação com as desatualizadas aeronaves soviéticas.

COMPARTILHAR