Em setembro deste ano o Governo Americano, através da USAF, confirmou que estava encomendando dois novos 747-8i para equipar a frota de aviões presidenciais, que também são conhecidos como Air Force One.

Recentemente a Força Aérea Americana (USAF) declarou que o governo passou US$ 500 milhões para o projeto, além de confirmar que haverá uma economia total de US$ 1 bilhão em comparação com o projeto anterior, aprovado pelo Governo do Barack Obama.

A compra dos novos Air Force One foi barrada pelo presidente Trump após uma análise de gastos com a aeronave. Trump relatou que o desenvolvimento do novo Air Force One custaria mais de 4 bilhões de dólares, incluindo a entrega de 2 aeronaves 747-8 com os sistemas de defesa.

Os 747-8i vão passar por uma modificação completa, o contrato prevê um interior executivo, além de um sistema de autodefesa de alto nível, aparelhos de comunicação embarcados de última tecnologia, instalações médicas, dentre outros recursos.

Essas modificações serão menores, em comparação com o projeto apresentado em 2013, barateando o custo final do avião. Além disso a Boeing fará todas essas modificações com base em dois aviões da Transaero, que seriam entregues para a companhia caso a mesma não tivesse entrado em falência. Esses aviões estão estocados em um deserto dos EUA, e já foram transferidos para uma instalação da Boeing.

Os custos serão reduzidos também na certificação da aeronave, visto que a Força Aérea Americana tentará diminuir os custos com base em sua experiência em certificar militarmente suas aeronaves.

Atualmente a Força Aérea Americana usa dois aviões Boeing 747-200B com modificações para o transporte principal do presidente norte-americano. A USAF ainda tem um Boeing 757 presidencial para atender voos para aeroportos de menor porte.

A entrega dos dois 747-8i, denominados VC-25B, será em 2020. 

 

Via – Aviation Week

COMPARTILHAR