Coronavírus ameaça indústria de aviação pelo mundo

O coronavírus saiu de uma pequena precaução para uma preocupação global em um curto prazo de dois meses. Na aviação o impacto está cada vez maior, tanto em voos como na indústria.

Várias companhias aéreas pelo mundo alteram seus voos para evitar um surto ainda maior e cooperar para proliferação da doença pelo mundo. Voos em países que estão com suspeitas muito altas como na Ásia, alguns países na Europa como a Itália que estão sendo influenciadas até no esporte, o governo italiano decretou que todas as atividades esportivas no pais sejam com portões fechados sem qualquer torcida.

Funcionários de empresas aéreas ganharam férias em meio a baixa demanda de alguns voos para esses países.

Na indústria da aviação, algumas das maiores fabricantes tem fabricações na china de componentes aeronáuticos e peças grandes. A Airbus fechou recentemente sua fábrica por um breve tempo, a fábrica tem cerca de 500 trabalhadores.

A CNN, a planta de montagem de Tianjin da Airbus, produz cerca de 10% de todos os A320 da Airbus. A fim de mitigar as perdas resultantes do desligamento da fábrica, a Airbus tomou providências para que os funcionários trabalhassem em casa sempre que possível. Em comunicado, a Airbus disse que estava “observando os requisitos do governo chinês para que a equipe trabalhasse em casa”.

 

Influencia na Boeing

Foto – Boeing/Reprodução

A Boeing também possui algumas operações de produção na China, uma fábrica em Tianjin e uma instalação de manutenção em Xangai. Essas fábricas estão envolvidas na instalação dos interiores do Boeing 737 MAX. Ao contrário da Airbus, o surto de coronavírus não teve tanto efeito nas fábricas da Boeing na China.


O motivo de não afetar tanto a Boeing é devido a suspensão dos voos do 737 MAX, em 2019, desde então a Boeing decidiu suspender a produção para evitar perdas, e logo já está sofrendo com uma possível queda na demanda por aeronaves, visto que a produção foi reduzida.

 

DEIXE UMA RESPOSTA