Flapper Ponte Aérea
Foto: Flapper/Divulgação

Com os preços dos voos entre os aeroportos de Congonhas, em São Paulo, e Santos Dumont, no Rio de Janeiro, na casa dos R$ 1000 ou até mais, o táxi aéreo se mostrou para o consumidor como uma alternativa viável à aviação comercial.

Aproveitando o momento atual do mercado, uma das empresas mais inovadoras do setor, a Flapper, decidiu reativar seus voos regulares entre São Paulo e Rio.

O serviço, que foi temporariamente interrompido durante a pandemia da Covid-19, foi reiniciado nesta sexta-feira, 13 de maio.

Continua depois do anúncio

Os voos do trajeto, que na Cidade Maravilhosa chegam pelo Aeroporto de Jacarepaguá, na Barra da Tijuca, constituem uma opção bem mais em conta para os clientes da região, dispostos a pagar R$ 1.500 por assento para se deslocar em um avião particular.

O serviço está disponível todas às sextas e segundas-feiras, em uma aeronave turboélice, Pilatus PC-12, considerado o monomotor mais seguro de toda a indústria, com capacidade para até oito passageiros. A empresa explica que os voos em rotas mais curtas nesse tipo de aeronave são mais rápidos e econômicos do que os feitos em jatinhos.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Flapper | Charter on-demand (@flyflapper)

Continua depois do anúncio

“Esse lançamento é um mero resultado do que aprendemos durante o período pré-pandemia. Um voo operado por um turboélice leva apenas 50 minutos, pois evitamos corredores aéreos mais congestionados e os clientes podem chegar 15 minutos antes da partida. É certamente a ponte aérea mais rápida do mundo”, destaca Paul Malicki, CEO da empresa.

No planejamento para os próximos meses, a Flapper pretende investir mais de R$ 1 milhão em ações de marketing e parcerias para popularizar ainda mais os seus voos.

Continua depois do anúncio

“A educação do usuário é fundamental. Estamos 100% comprometidos em reativar inúmeras rotas no Brasil”, completa Malicki.

Pilatus PC-12
Pilatus PC-12 é o avião responsável pela rota. Foto – Divulgação

No ano passado, o Aeroporto de Jacarepaguá tornou-se o maior de aviação geral do Brasil. Com base nos dados compartilhados pela ANAC, mais de 65.925 operações de aviação geral foram realizadas no Aeroporto Roberto Marinho em 2021, grande parte delas sendo voos offshore relacionados às operações de helicópteros da Petrobras.

Os assentos da Flapper já estão sendo comercializados pelo aplicativo e site da empresa (flyflapper), Clique Aqui para a seguir.

Continua depois do anúncio