O incidente da Southwest na manhã de ontem (17/04), e que depois virou acidente, foi semelhante a um mesmo que ocorreu na companhia em 2016, também com envolvendo um Boeing 737 e um motor CFM56.

No acidente de ontem o motor apresentou problemas durante o voo, causando danos na carenagem que atingiu partes da fuselagem e quebrou uma janela. Devido à despressurização e a força do ar saindo de dentro para fora, uma passageira foi quase “sugada” pela janela, posteriormente ela seria a vítima fatal do voo

Tirando essa parte da passageira, os casos foram bem semelhantes, no de 2016 o motor sofreu uma avaria parecida, e a parte frontal da carenagem se despedaçou, atingindo alguns pontos da fuselagem (imagem abaixo).

Esse incidente que aconteceu em 27 de agosto de 2016, também em um voo operado pelo 737-700, foi na rota de Nova Orleans para Orlando. Partes do motor perfuraram a fuselagem, mas não causaram mortes, as máscaras de oxigênio também foram acionadas, caso acontecesse uma despressurização. Já o incidente de ontem foi em uma rota de Nova York para Dallas, com o mesmo tipo de aeronave e o mesmo modelo de motor.

As investigações desse acidente que ocorreu ontem ainda estão ocorrendo, por isso não podemos afirmar nada sobre a devida causa que resultou no despedaçamento da carenagem.

Incidente de ontem. Foto – Marty Martinez

No caso do incidente de 2016, as investigações apuraram que uma falha estrutural em uma pá do fan frontal foi causada por fadiga de material. A pá tinha pequenas rachaduras internas, causadas por fadiga do material e que resultaram na ruptura durante o funcionamento do motor.

A Southwest Airlines somente ressaltou que está prestando apoio aos passageiros e vai colaborar com as investigações.


A aeronave envolvida foi fabricada em 2000, e desde então acumulou 63000 horas de voo e 36700 ciclos. Ela é equipada com dois motores CFM56-7B22.