Foto - Aeroclube de São Paulo

O Aeroclube de São Paulo, instituição que completará 88 anos de história em 2019, corre o risco de fechar as portas de forma repentina e irreversível nos próximos dias.

Sendo o aeroclube mais antigo do Brasil em atividade, tendo formado milhares de pilotos para a aviação brasileira e internacional, jamais interrompeu suas atividades de formação aeronáutica e tem sua trajetória intimamente ligada à fundação do Aeroporto Campo de Marte.

De acordo com os diretores do Aeroclube, o motivo é o fechamento do Aeroporto Campo de Marte, principal local de atuação do Aeroclube de São Paulo.

O Aeroclube de São Paulo que se estabeleceu no aeroporto por uma estratégia de desenvolvimento e formação de pilotos e incentivo à aviação brasileira por parte do Governo Federal, responde ao processo 5006846-63.2017.4.03.6100 proposto pela Infraero.

O espaço que já teve concessão vitalícia hoje tem liminar para desocupação nos próximos dias. A instituição que é regulamentada pela ANAC não tem prazo suficiente para pedir a certificação de qualquer outra instalação a tempo de manter suas atividades e compromissos com a comunidade aeronáutica.

O processo de alteração de endereço estabelecido pelo RBAC 141 (Regulamentos Brasileiros da Aviação Civil) em seu item 141.25 requer pelo menos 60 dias de antecedência para informar a ANAC de uma transferência de endereço.

Atualmente o aeroclube possui mais de uma centena de alunos matriculados nos cursos de Piloto Privado, Piloto Comercial, Instrutor de Voo e Comissário. Além de compromissos assumidos com centenas de associados, colaboradores e fornecedores.

A diretoria executiva da instituição disse que trabalha para conseguir extensão do prazo na justiça e um posicionamento político sobre a situação que reflete o descaso e falta de um planejamento nacional a curto, médio e longo prazo para a aviação brasileira comercial e suas escolas.

 

Texto via Aeroclube de São Paulo.