Com a recente crise da Avianca Brasil, e a paralisação das operações da Avianca Argentina, ambas pertencentes ao Grupo Sinergy, a Aeromar decidiu seguir o caminho da Avianca Colombia e se desvincular do Grupo Sinergy, ou de qualquer parceria com Germán Efromovich.

O acordo com Efromovich perdurava desde o final de 2016, mas o dinheiro do novo dono, que seria responsável por 49% da empresa e uma grande expansão da companhia, não chegou  a ser investido.

Como resultado a empresa precisou buscar dinheiro no mercado, como forma de manter seu plano de crescimento no mercado mexicano. A companhia tem na sua frota cerca de 10 aeronaves turboélice, 18 rotas (após reformulação da empresa) e mais de mil funcionários, algo bastante excessivo.

No comando de novos investidores, a companhia aérea deve continuar sua reformulação, realizada desde meados de 2018, operando em rotas lucrativas, e adicionando novas aeronaves aos poucos até 2023.