Aeromexico planeja rever contratos de leasing de 19 aeronaves, e pode devolver aviões

O Grupo Aeromexico apresentou um planejamento de rever contratos de leasing de 19 aeronaves de sua frota.

Essas mesmas aeronaves deverão ser devolvidas para reduzir os custos operacionais e despesas da empresa, que está sendo administrada com base no Chapter 11 dos EUA em processo de recuperação judicial.

A companhia aérea e a corte dos EUA tem uma audiência marcada para o dia 20 de julho, para reforçar o pedido de recuperação judicial as 19 aeronaves deverão ser devolvidas até o dia 15 de julho.

“Em consulta com seus consultores, os Devedores (Aeroméxico) determinaram que o Excesso de Equipamento Alugado não é necessário para a operação continuada ou a reorganização bem-sucedida dos Devedores, e os Devedores buscam eliminar aluguel, seguro, armazenamento e outros custos associados a eles”, disse a Aeromexico em comunicado.

Entre as aeronaves que serão devolvidas estão, 5 aviões Boeings 737-700, 5 Boeings 737-800 e 9 Embraer E170. Além das aeronaves, os motores General Eletric CF34-8E5 dos E-Jets serão devolvidos.

A empresa de leasing Falko Regional Aircraft Limited possui quatro E170, a Aldus Limited possui dois, a Nordic Aviation Capital possui dois e a GECAS possui um. 

Enquanto isso, os 737-800 pertencem à Aercap, AirCastle, BBAM e JP Lease Products & Services (que possui dois). Finalmente, o 737-700 é alugado pela BBAM (2) Genesis Aircraft Services (2) e pela Willis Lease Finance Corporation. 


Antes do pedido de recuperação no Chapter 11, a Aeroméxico possuía uma frota de 125 aeronaves, incluindo nove E170, 47 E190, seis B737 MAX, 35 B737-800, nove B737-700 e 19 B787. A Aeromexico possuía 25 aviões. O restante da frota estava sob arrendamento operacional. 

 

DEIXE UMA RESPOSTA