O Boeing 737-800 que sofreu um grave incidente na última sexta-feira (03/05), nos Estados Unidos, estava com um problema mecânico pendente, de acordo com as autoridades.

A aeronave ultrapassou os limites da pista durante um pouso na Estação Naval de Jacksonville (EUA) com 136 passageiros e 7 tripulantes a bordo.

O resgate foi conduzido por uma equipe da Marinha dos EUA e do Corpo de Bombeiros. Todos os ocupantes conseguiram sair da aeronave, a equipe de resgate levou 21 pessoas para hospitais, todos com ferimentos leves.

De acordo com o vice-presidente do Conselho Nacional de Segurança nos Transportes, Bruce Landsberg, o avião estava com o reverso do motor esquerdo pinado, termo utilizado para se referir ao reverso desativado.

Desta forma o desempenho da aeronave diminui durante o pouso, por diminuir a capacidade de desaceleração, principalmente nas condições da hora do incidente, com uma forte tempestade.

A investigação vai prosseguir, de acordo com Bruce, para descobrir mais causas do grave incidente. O local de pouso tem uma pista de 2377 metros, aproximadamente, suficiente para as operações do Boeing 737-800 NG.

Pouco antes do pouso, os pilotos pediram para mudar para uma pista que tinha equipamentos de auxílio à aproximação instalados, reduzindo o comprimento do espaço de pouso disponível para 2.377 metros de um comprimento total de 2743 metros, disse Landsberg.

Os investigadores não tinham recuperado as caixas-pretas da aeronave até a tarde desta segunda-feira, os trabalhos de retirada do avião ainda estão ocorrendo. É possível esperar uma boa integridade dos componentes.