Foto - Infraero/Divulgação

O Aeroporto Campo de Marte, localizado praticamente ao lado da Marginal Tietê e conhecido pelo seu tráfego de aviação geral, será cedido do Governo da Cidade de São Paulo para a administração federal.

O repasse tem um valor aproximado de R$ 25 bilhões, e envolve a quitação de dívidas no mesmo valor da Prefeitura de São Paulo com o Governo Federal. O acordo foi realizado entre o Prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, e o presidente da República Jair Bolsonaro, finalizando um impasse de 63 anos.

A Prefeitura diz que um montante de R$ 3 bilhões por ano será liberado no orçamento da cidade. Isso permitirá investimentos diversos para melhorar a infraestrutura de São Paulo.

Está suspenso também o projeto encabeçado pelo agora Governador de São Paulo, João Dória Jr., de criar um parque no local do aeroporto. Já o Governo Federal planeja conceder o Campo de Marte, e sua área de 2 milhões de metros quadrados, para a administração de uma empresa privada.

Atualmente a Infraero é responsável pela manutenção do terminal, o 5º maior do Brasil em movimento de pousos e decolagens. Um parque ainda pode ser estabelecido no local, em uma parte que ficou com a prefeitura de São Paulo ao lado.

O acordo, no entanto, ainda precisará ser aprovado pelos deputados e senadores federais. O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) investiga o acordo entre as partes, visto que há um processo judicial rolando para estabelecer uma indenização, que deveria ser paga pela União ao Governo da Cidade de São Paulo.

O valor, que impacta nos cofres do Governo Federal por deixar de receber R$ 3 bilhões anuais até 2028, também é um dos pontos de avaliação dessa proposta.

 

DEIXE UMA RESPOSTA