No intuito de capacitar as equipes para atuar em casos de emergência, o Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins, realizou na tarde desta quinta-feira (21), mais um Exercício Simulado de Emergência em Aeródromo (ESEA). Desta vez, a iniciativa ocorreu na pista do aeroporto e foi utilizada uma carcaça de aeronave.

A ideia foi criar uma situação em que fosse possível treinar os profissionais para que tomem as ações necessárias em casos de emergências com vítimas, bem como promover a interação entre as organizações internas e externas ao aeroporto, envolvidas no atendimento a emergências aeroportuárias. Vale ressaltar que durante o simulado, as operações ocorrem normalmente.

O treinamento simulou a chegada de uma aeronave de pequeno porte, que pousou normalmente, no entanto, saiu da pista e caiu em uma vala. Imediatamente, foram acionadas as equipes de Bombeiros de Aeródromo e do Centro de Operações de emergência (COE) do aeroporto. Na ocasião não houve incêndio, mas muita fumaça e forte cheiro de combustível.

No desdobramento da ocorrência, os bombeiros retiraram as pessoas da aeronave e o serviço médico de emergência do aeroporto, auxiliado pelo corpo de voluntários de emergência, identificaram um morto, feridos e ilesos. Os feridos foram levados para a Santa Casa de Lagoa Santa e para a UPA de Vespasiano.  

Para dar andamento a todo o simulado, foi preciso contar com diversas áreas, além das já citadas, como Prevenção e Emergência Aeroportuária, Segurança, Vigilância, Operações, além da Polícias Militar e Federal e do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais.

“Ao final do exercício, podemos dizer que o objetivo de treinar e testar as equipes do aeroporto foi alcançado com sucesso. Conseguimos colocar em prática o Plano de Emergência e outros procedimentos operacionais importantes. Nesse tipo de exercício, é possível avaliar os pontos fortes e fracos, bem como conseguimos nos aperfeiçoar para atuar de forma mais ágil e segura, assim como melhorar o tempo de resposta nas emergências aeroportuárias”, avalia Robson Freitas, gestor de Operações da BH Airport.

Este é o segundo simulado realizado este ano. Em maio, ocorreu o primeiro exercício de 2021, com um acidente que envolveu uma motociclista grávida. A situação foi conduzida em frente ao hotel Linx.

“Nos dois exercícios, o envolvimento de todas as equipes contribuiu para a transferência de conhecimento e para que todos consigam atuar também em situações não previstas”, conclui Robson.

DEIXE UMA RESPOSTA