No dia 14 de agosto de 2021, o município de Guanambi comemora uma data especial, será o seu 102° aniversário; dotada de história, a Prefeitura já divulgou um calendário com a programação das comemorações que, devido a pandemia, ainda deve apresentar restrições.

Coincidentemente, no dia seguinte, 15 de agosto de 2021, outro aniversário também ocorrerá; a data marca o segundo ano da INFRACEA Aeroportos à frente da administração do Aeroporto Isaac Moura Rocha.

É um momento empolgante, tanto para a empresa quanto para a população, além de uma oportunidade para recapitularmos o que foi feito e o que o futuro reserva para o notável município.

No início, quando a INFRACEA assumiu a administração do Aeroporto de Guanambi, a empresa realizou uma atividade que já se tornou praxe; por meio de uma inspeção, ela identificou quais seriam os maiores desafios e quais deveriam ser os primeiros passos a serem tomados para garantir a segurança e a boa operação dos voos em Guanambi.

A auditoria interna especificou as não conformidades que o aeroporto possuía perante o órgão regulador, ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil), e logo se pôs a trabalhar para adequar esses fatores.

Um dos mais importantes acabou por surpreender pela rapidez com o qual foi resolvido, a questão da certificação. É preciso observar que antes da INFRACEA, o Aeroporto de Guanambi era homologado, ou seja, detinha um documento de sua existência, mas ainda não possuía certificação. Sem ela, voos regulares, aqueles executados por companhias aéreas, não poderiam ocorrer, sendo limitado apenas aos voos da aviação geral (pequenos aviões particulares, jatos executivos, voos de treinamento etc.).

Nesse cenário a INFRACEA executou o que até hoje é o seu processo de certificação mais rápido entre os aeroportos que administra.

INFRACEA Pista Aeroporto de Guanambi BA

Em 45 dias, o Aeroporto de Guanambi recebeu seu certificado perante a ANAC e a agência entendeu que as não conformidades que ainda estavam pendentes não representavam impeditivos para a realização de voos regulares. Hoje, é possível atender aeronaves até o ATR-72, que possui capacidade para 72 passageiros.

É uma preocupação justa da população as atividades que permeiam os serviços públicos; ainda mais justas são aquelas relativas aos investimentos do Estado e da Prefeitura, dos órgãos públicos, e em quais benefícios esses investimentos se convertem para a comunidade.

A aviação e o setor aeroportuário são dotados de uma certa complexidade que pode interferir na percepção geral da efetividade dos seus serviços, isso é natural. Mas é fato que nem todo benefício provém apenas de uma direção, mesmo que esta seja mais facilmente observada.

Esse é o caso das operações de voos regulares, que costumam sinalizar, para muitos, a boa ou má atividade de um aeroporto. Mas, apesar desta ser uma atividade importantíssima, o papel do aeroporto e dos modais aéreos vai muito além disso.

O ano de 2020 foi marcado por um período atípico, cujos efeitos ainda prejudicam diversas pessoas, além de setores inteiros da economia. A pandemia colocou empecilhos para a expansão das atividades relacionadas ao setor aeroportuário, que vinha experimentando um momento otimista. Essa forte expansão vem sendo retomada desde então, novas rodadas dos leilões de concessões aeroportuárias estão sendo planejadas e devem movimentar investimentos significativos.

Um sinal positivo para passageiros e companhias aéreas, uma vez que esse tipo de investimento acaba valorizando toda a malha aérea, eleva os padrões das operações nos aeroportos e reduz os índices de atrasos e cancelamentos. Mas ainda existem obstáculos a serem superados, infelizmente a Covid-19 continua sendo uma realidade e um fator considerável para a recuperação plena do setor.

INFRACEA Aeroporto de Guanambi BA - UTI Aérea, Operação Aeromédica

Foi nesse contexto no qual o Aeroporto de Guanambi representou peça importantíssima. Durante o ápice da pandemia, ao menos uma vez por dia, o aeroporto recebia os chamados voos aeromédicos, que são aeronaves que fazem o transporte de pacientes, de materiais e profissionais da saúde, e das vacinas contra a Covid-19.

Outra importante função foi o transporte de valores, dos auxílios emergenciais. Esses são casos em que a agilidade cumpre um papel fundamental; e ela só foi possível graças ao trabalho realizado para a certificação do aeroporto e a mudança de cultura interna, que trouxeram novos procedimentos de segurança, maior controle de acesso e especialização das equipes. Guanambi pode se orgulhar de ter sido um dos aeroportos regionais facilitadores desse tipo de operação que salva vidas.

O 102° aniversário de Guanambi e o 2° da INFRACEA no Aeroporto Isaac Moura Rocha podem ser comemorados com ainda mais entusiasmo quando pensamos o que o futuro trará.

Atualmente, com a volta das operações de voos regulares e à chegada da Azul Linhas Aéreas Brasileiras, ocorreram adequações de estrutura, dos espaços de check-in e sinalização horizontal para alocação das aeronaves. Novas contratações também estão ocorrendo para acompanhar essas mudanças, gerando empregos nas áreas de check-in, transporte de bagagens, APAC (Agentes de Proteção da Aviação Civil), etc.

A própria INFRACEA está treinando as equipes de APAC, de tal forma que mesmo o gestor e o restante dos funcionários estão recebendo o treinamento, gerando uma espécie de backup, caso seja necessário, para que eles estejam devidamente capacitados e possam realizar estas atividades.

As áreas de limpeza, manutenção e fiscais de pátio também foram incrementadas, o que acabou por duplicar o efetivo de pessoal no aeroporto, sem contar com a equipe alocada pela Azul.

Fachada Aeroporto de Guanambi BA - INFRACEA

O número de pequenos e médios aeroportos regionais supera e muito o de grandes aeroportos. A importância, no entanto, é complementar. A palavra-chave para o futuro da aviação é conectividade.

Os aeroportos regionais ganharam nova relevância no sentido de permitirem conexões rápidas não apenas entre os modais aéreos, mas entre os outros modais de transporte também, como o rodoviário, diminuindo a necessidade de viagens muito longas somente pelo transporte terrestre.

Guanambi é um ótimo exemplo; por possuir grande potencial de conectividade, as companhias aéreas têm a oportunidade de atender a sua população e a de municípios próximos.

“Hoje o passageiro vai pegar um voo de 1h30 e chegar em Salvador, isso fomenta os empresários também. Aumenta a celeridade, a efetividade de fazer uma viagem de ida e volta no mesmo dia”, comentou Tiago Dantas, Gerente de Operações da INFRACEA Aeroportos.

No todo, existe uma gama de serviços relacionados a esses aeroportos, cada um deles detendo sua importância particular. Os voos aeromédicos, os da aviação geral, e os voos regulares; todos trazem benefícios fundamentais para a população.

 

Via: Infracea

DEIXE UMA RESPOSTA