Air France/KLM Grupo Aviação

A Air France-KLM Group anunciou hoje(19) seus resultados anuais referente ao ano de 2020, e com um enorme prejuízo. A ano de 2020 em sí foi extremamente prejudicial a toda a indústria da aviação, exceto o transporte de cargas.

O grupo formado pela francesa Air France e a holandesa KLM já esperava que seus resultados fossem bastante negativos. Os números de 2020 bateram o recorde de perdas da empresa, totalizando € 7,1 bilhões (US$ 8,5 bilhões). Com isso as receitas tiveram queda de 59% em comparação a 2019.

Ao todo a divida de todo o grupo chega a € 11 bilhões (US$ 13,2 bilhões), totalizando um aumento de € 4,9 bilhões (US$ 6 bilhões). Com as restrições de viagens e a consequente demanda menor, as empresas do grupo transportaram cerca de 34 milhões de passageiros a menos durante o ano em comparação a 2019.

De forma separada, a Air France teve um prejuízo maior do que sua parceira KLM, a companhia aérea francesa registrou perdas de  3,4 bilhões (US$ 4,1 bilhões). Já a KLM anunciou perdas de € 1,2 bilhão (US$ 1,4 bilhão), a subsidiaria teve prejuízo de € 93 milhões (US$ 112 milhões). 

“2020 testou o Grupo Air France-KLM com a crise mais severa já experimentada pela indústria de transporte aéreo. Gostaria de agradecer aos nossos funcionários por sua dedicação e tremenda flexibilidade durante este período, o que nos permitiu permanecer resilientes, apesar de uma queda sem precedentes no tráfego.” Disse Benjamin Smith CEO do Air France KLM Group.

Fora todo o prejuízo, a Air France e a KLM parecem não mais esperar que o governo de seus países fechem o acordo de aporte financeiro. Há um imbróglio entre os governos sobre a divisão do dinheiro injetado tanto na companhia da França como da Holanda. 

Atualmente todo o grupo tem realizado cortes tanto nos funcionários como na frota, a medida que os meses passam as empresas operam poucos voos. Com a vacinação em curso, a empresa espera que as viagens sejam impulsionadas novamente para que a empresa possa aumentar seus voos e sua malha conforme a demanda reage.