Air France utilizará o Airbus A350 e Boeing 787 em seus voos para o Brasil

A Air France fez uma alteração em seus voos para o Brasil, que é válida a partir de amanhã (03/04), substituindo as aeronaves Boeing 777 por uma nova combinação, entre aviões Boeing 787-9 e Airbus A350.

A companhia já tinha implementado antes, devido à baixa demanda gerada pela crise, um corte drástico em seus voos para o Brasil. Agora a Air France só opera três voos semanais para São Paulo, e pelo menos neste mês, todos serão com o A350. 

Enquanto isso, o Rio de Janeiro agora é atendido com um voo semanal a partir do Aeroporto Charles de Gaulle, em Paris. Sempre os voos das segunda-feiras serão realizados pelo Boeing 787-9 durante o mês de abril, que já operou anteriormente no Brasil, com voos para o Rio de Janeiro e Fortaleza.

Vale ressaltar que a companhia manteve os horários dos voos.

O grande atrativo é que essas duas aeronave,s o Airbus A350 e o Boeing 787 Dreamliner, são as últimas aquisições da Air France para os voos de longa distância, e trazem o melhor do conforto a bordo para o cliente.

 

Airbus A350

Conforto a bordo


Foto – Divulgação Airbus

O novo A350 da Air France está equipado com 324 assentos, sendo 34 na Classe Executiva, 24 na Premium Economy e 266 na Economy.

Como novidade temos o interior Air Space, bastante modernizado em comparação com as aeronaves A330, A340 e A380 da Air France. Só para comparação, as janelas são 30% maiores.

Temos aqui um sistema de entretenimento completo e individual por assento, que é complementado por um sistema de internet wi-fi, que se conecta com redes terrestres por satélite.

Na Classe Executiva temos uma confortável distribuição 1-2-1, onde todos os passageiros têm acesso ao corredor. O assento vira cama, e é acompanhado por uma nova tela sensível ao toque HD de 18,5 polegadas, que oferece acesso a mais de 1.400 horas de entretenimento, incluindo filmes, músicas, podcasts e muito mais.

O assento é bem semelhante à executiva utilizada pela Azul nas aeronaves A330neo, como conferimos em junho.

Já na Premium Economy, composta por 24 assentos, temos assentos que reclinam 124º, com 48 cm de largura e maior espaço para as pernas, em comparação com a Economy. A distribuição 2-4-2 diminui a densidade de passageiros por fileira.

Uma tela de 13 polegadas, e resolução HD, está disponível para o entretenimento individual, como o mesmo conteúdo existente na Business.

 

Wi-Fi a bordo!

A bordo do Airbus A350, os clientes podem permanecer conectados ao Air France CONNECT. O acesso pode ser obtido a partir de três pacotes diferentes:

– No pacote de “Mensagem ” gratuito para todos, é possível enviar e receber mensagens durante todo o voo;
– O pacote “Surf” que custa entre € 3 e € 18 (6.000 milhas) é para navegar na Internet, consultar e enviar e-mails;
– No pacote “Stream” de € 30 (10.000 milhas) o passageiro pode desfrutar de alta velocidade da Internet, streaming e downloads, incluindo os passes “Message” e “Surf”.

 

O Boeing 787 Dreamliner da Air France

Foto – Air France/Reprodução

A Air France recebeu no fim de 2016 o primeiro Boeing 787-9 da sua frota.

A nova aeronave oferece muitos benefícios, como WiFi a bordo, janelas aproximadamente 30% mais largas do que em aeronaves similares e três classes para os passageiros, Business (30 assentos), Premium Economy (21 assentos) e Economy (225 assentos).

Os assentos da Premium Economy serão 2,5 cm mais largo, com almofadas mais confortáveis e parte inferior do encosto reforçada, têm mais espaço para as pernas e aumento de 5 cm entre a distância das poltronas. A estrutura de assentos será fixa, item popular ente os viajantes da companhia, que desfrutarão de melhor qualidade no sono com reclinação de 130° da poltrona, mais espaço entre assentos com apoio de braço 2,55 cm mais largo e mesa que possibilita aos passageiros manter seus livros ou tablets retos.

Por ser um Dreamliner, o primeiro 787 da Air France tem ainda outras vantagens, alinhadas com preocupações globais envolvendo sustentabilidade. O consumo de combustíveis é reduzido em 20% comparado com modelos anteriores da aeronave e há uma redução significativa nas emissões de CO2.

 

DEIXE UMA RESPOSTA