A Boeing e a Air New Zealand anunciaram hoje um compromisso da companhia aérea para encomendar 8 aviões do modelo 787-10 Dreamliner, em um contrato que pode ter valor de US$ 2,7 bilhões.

A companhia disse que o 787-10 Dreamliner vai complementar a frota já existente de aeronaves 787-9, mantendo a comunalidade da família de aeronaves. Ao mesmo tempo a empresa planeja substituir o 777-200ER pelo novo avião da Boeing.

“Esta é uma decisão extremamente importante para a nossa companhia aérea. Com o 787-10 oferecendo cerca de 15% mais espaço para clientes e carga do que o 787-9, esse investimento cria a plataforma para nossa direção estratégica futura e abre novas oportunidades para crescer”, disse o diretor executivo da Air New Zealand, Christopher Luxon.

A companhia também escolheu 16 motores General Electric GEnx-1b para equipar suas aeronaves 787-10. Apesar disso, a companhia não declarou a configuração interna da sua nova aeronave, que pode levar 330 passageiros em duas classes no padrão da Boeing.

As entregas dos 787-10 começarão em 2022, e prosseguirão até 2027.

A Air New Zealand opera 13 aviões 787-9, e deve receber mais um avião deste modelo nos próximos anos. A companhia também opera com sete aviões 777-300ER e oito 777-200ER.