A Airbus anuncia o início das operações do BelugaXL, fornecendo à companhia uma capacidade de transporte 30% maior com o objetivo de impulsionar continuamente seu programa de produção de aeronaves comerciais.

A aeronave é parte integrante do sistema industrial da Airbus e fez seu primeiro voo operacional no dia 9 de janeiro. Este é o primeiro dos seis BelugaXL que começarão a trabalhar ao lado dos atuais BelugaST, com as demais unidades programadas para entrar em operação entre 2020 e 2023.

Lançada há pouco mais de 5 anos, em novembro de 2014, a sua entrada em operação marca mais uma bem-sucedida conquista do programa interno de aeronaves, que recebeu a certificação da Agência Europeia para a Segurança da Aviação (EASA) em novembro de 2019, após uma intensa campanha na qual o BelugaXL completou mais de 200 testes de voo em mais de 700 horas de voo.

Com 63 metros de comprimento e 8 metros de largura, o BelugaXL possui a maior seção transversal de compartimento de carga de todas as aeronaves desse tipo existentes no mundo. O BelugaXL pode transportar duas asas do A350 XWB em comparação com o BelugaST, que só tem capacidade para transportar uma. Com uma carga útil máxima de 51 toneladas, o modelo tem autonomia de 4.000 km (2.200 milhas náuticas).

O BelugaXL é baseado em um A330-200 Cargueiro, o que possibilita a reutilização de componentes e equipamentos existentes, e possui motores Rolls Royce Trent 700. A cabine de comando rebaixada, a estrutura do compartimento de carga, a traseira e a cauda foram recentemente desenvolvidas em conjunto com parceiros, dando à aeronave sua aparência distinta.

O BelugaXL é o mais recente acréscimo ao portfólio de transporte da Airbus. Embora o transporte aéreo continue sendo o principal meio de transporte de grandes componentes de aeronaves, a Airbus também utiliza transporte rodoviário, ferroviário e marítimo para transferir peças entre seus locais de produção.

Assim como o BelugaST, a aeronave operará em 11 destinos na Europa, continuando a fortalecer as capacidades industriais da empresa e permitindo à Airbus cumprir seus compromissos.


DEIXE UMA RESPOSTA