A Airbus está em busca de novos clientes para a sua aeronave de transporte militar A400M. A finalidade dessa busca é reduzir o prejuízo gerado pelo programa de desenvolvimento da aeronave até o momento, só no ano passado a Airbus teve que injetar € 1,2 bilhão para desenvolver as capacidades militares da sua aeronave.

Durante um briefing de resultados realizado via conferência on-line, o executivo-chefe da Airbus, Tom Enders, descreveu o projeto como “doloroso” e “frustrante”, e admitiu que a empresa cometeu um grave erro concordando com o contrato original de desenvolvimento e produção. 

De acordo com a Airbus a parceria com os governos da Bélgica, da França, da Alemanha, do Luxemburgo, da Espanha, da Turquia e do Reino Unido não está rendendo o montante necessário para desenvolver a responsabilidade e capacidade de produzir as unidades encomendadas e as tecnologias do A400M. A empresa também destacou os prejuízos devido aos problemas de imaturidade do motor no projeto.

O fato é que o A400M está sofrendo com várias restrições operacionais anos após a primeira entrega da aeronave, a última falha foi na caixa de velocidades da hélice Europrop International TP400-D6 no ano passado, que resultou em atrasos nas entregas. A metade das aeronaves entregues já receberam correções provisórias para a caixa de engrenagens da hélice, mas Enders diz que existem outros desafios, inclusive com as capacidades de transporte aéreo e os subsistemas de auxílio defensivo do transporte.

“Eu não quero fazer parte de um grupo que é obrigado a usar as receitas e ganhos de [aeronaves] comerciais para investir em prejuízos em defesa”, disse o chefe de operações da Airbus, Fabrice Brégier, citando a Boeing como uma empresa que usa seus lucros para cobrir custos do setor de defesa.

Fabrice Brégier usou a citação acima para alertar aos países da União Europeia que participam do programa do A400M, de acordo com ele a quantidade de burocracia e as penalidades em contrato estão causando um grande rombo financeiro no setor de defesa da Airbus Group.

Recentemente a Alemanha (Luftwaffe) declarou que só uma a cada oito aeronaves A400M que foram adquiridas estavam prontas para usar a qualquer momento.

A Airbus Defence & Space entregou 17 A400Ms em 2016, e 11 em 2015, Tom Enders prevê que o setor de defesa entregue 20 aeronaves A400M em 2017.

 

Via – FlightGlobal