Foto: Airbus/Divulgação.

A Airbus Helicopters anunciou nesta quinta-feira (15) a criação da “H175M Task Force”. Trata-se de um grupo de empresas unidas pela Airbus para dar suporte à oferta do helicóptero H175 ao programa New Military Helicopter (NMH) do Reino Unido.

A força-tarefa da companhia foi revelada nesta manhã por Lenny Brown, novo diretor administrativo da Airbus Helicopters UK, durante uma apresentação na abertura do Royal International Air Tattoo (RIAT) 2022, na base de RAF Fairford. 

O NHM visa escolher e adquirir um substituto para a já veterana frota de helicópteros Puma HC.2 da RAF e outros três modelos em serviço no país. Inicialmente, 44 helicópteros serão adquiridos por, aproximadamente, US$ 1,42 bilhão. Ao mesmo tempo a Airbus tem um contrato de manutenção para os Puma, que dura até o final deste ano. A RAF possui 23 destes helicópteros em operação. 

As companhias Babcock International, Martin-Baker, Pratt & Whitney Canada (P&WC) e Spirit AeroSystems se apresentaram como Parceiros Estratégicos na nova equipe.  

“Esses acordos, assinados com algumas das empresas aeroespaciais mais respeitadas do Reino Unido e internacionalmente, são um sinal claro da robustez e valor duradouro para a nação de nossa proposta”, disse Brown. 

A estratégia da Airbus é unir as companhias das quatro nações do Reino Unido para tornar o H175M um helicóptero mais britânico. A fabricante também pretende construir uma linha de produção do H175 em Broughton, ao norte do País de Gales. A mesma linha também vai produzir helicópteros voltados ao mercado de exportação. 

Helicópteros Airbus H175 do Governo de Hong Kong. Foto: Airbus Helicopters.

Partes do helicóptero também serão fabricadas nas instalações da Spirit AeroSystems em Prestwick, Escócia e Belfast, na Irlanda do Norte. Dessa forma, 70% dos componentes do H175M virão de fornecedores do Reino Unido.

“Se selecionada, a Força-Tarefa H175M criará centenas de novos empregos e sustentará milhares mais em toda a cadeia de suprimentos rotativa do Reino Unido nos próximos anos”, aponta Brown. “O H175M tem o potencial de revigorar a indústria de helicópteros do Reino Unido, atendendo a um mercado de exportação estimado em quase 500 aeronaves em todo o mundo.”

A jogada da Airbus vem para contrapor as ofertas da Leonardo, com o AW149, e Sikorsky com o S-70/UH-60 Black Hawk. Apesar das três empresas já estarem disputando o projeto, o Reino Unido ainda não deu especificações detalhadas quanto ao NMH. Brown disse que apenas “requisitos indicativos de desempenho” foram revelados pelo governo, aponta Flightglobal.