Airbus

Com a pandemia de Covid-19 e consequentemente a crise na aviação, a fabricação de novas aeronaves teve uma redução considerável. Com o mercado retomando aos bons níveis, a Airbus enxerga um momento de aumentar sua taxa de produção mensal para o seu principal produto, o Airbus A320.

Nesses tempos de crise, a Airbus reduziu sua produção mensal de 60 aeronaves para 40, buscando se adequar a crise no setor. O CEO da Airbus, Guillaume Faury, acreditava que os números de 2019 não seriam alcançados novamente, pelo menos antes de 2025. Em 2020 a fabricante europeia conseguiu entregar 556 aeronaves, sendo 446 aeronaves de único corredor.

Segundo o jornal francês La Tribune, diz que a intenção da Airbus é elevar o número de aeronaves construídas para 47 ao mês até o verão europeu. O aumento continuará nos próximos anos, tendo um aumento para 57 aeronaves em janeiro de 2022 e 61 em janeiro de 2023.

Atrelado ao aumento de produção da Airbus, a fabricante lançou seu terceiro Airbus Beluga XL em outubro. O Beluga tem grande importância para a fabricante transportar um grande volume de peças em um período curto. 

Um jornal alemão destacou que a Airbus planeja criar um espaço de 45 mil metros² em Hamburgo, um dos locais de montagem da fabricante. O espaço será destinado a armazenar melhor as peças de fabricações das aeronaves e melhorar o controle de logística da empresa. 

O foco da Airbus será manter as peças do A320 de forma independente. A empresa está apostando suas fichas na aquisição de aeronaves de único corredor para a retomada dos bons níveis de viagens em todo o mundo. A Airbus ainda tem a versão do A321XLR que a fabricante espera grandes vendas para o modelo.

DEIXE UMA RESPOSTA