Airbus A380 Hi Fly
Foto - Hi-Fly/Divulgação

A Airbus pode voltar em breve a utilizar o A380 para testar novas tecnologias. A fabricante estuda utilizar o avião de dois andares para testar tanques de hidrogênio nas aeronaves, e em voo.

O tanque de hidrogênio é também uma parte essencial da nova aposta da Airbus de criar aviões movidos ao combustível que é o material menos denso da natureza. Apesar dessa vantagem, a maior é a capacidade de produzir apenas vapor de água na queima com o oxigênio dentro do motor, ou seja, realmente com zero emissão de CO2.

Além dos aeroportos que produzem o combustível dos próprios aviões que operam no local, outra aposta da Airbus, os tanques de hidrogênio do avião também precisa suportar as condições de operações, com vários ciclos de abastecimento e desabastecimento (compressão e descompressão) ao longo da vida da aeronave.

Airbus A380

Os tanques devem ser capazes de conter o combustível a temperaturas de -250 graus celsius, algo que com temperatura ambiente, só é possível com alta pressão. Além deste motivo, o hidrogênio é altamente volátil, um vazamento pode significar um grande acidente.

Por agora a Airbus ainda não confirmou como planeja testar as suas tecnologias no A380, no entanto, este parece ser a aeronave ideal para este propósito. Além do amplo espaço da aeronave, com quatro motores, a Airbus pode adaptar um propulsor para a queima de hidrogênio, e realizar testes completos do novo sistema.

O desenvolvimento da propulsão por hidrogênio acontecerá em Bremen, na Alemanha, e em Nantes, na França. Nesses dois locais a Airbus espera criar todo o ecosistema que possibilite o uso do elemento químico como combustível.

 

Via: aeroTELEGRAPH

DEIXE UMA RESPOSTA