A Airbus está investigando a causa de vapores nocivos na cabine de um novo Airbus A330-900 da Aircarlin, de matrícula F-ONET que foi enviada para a fábrica da Airbus em Toulouse, na França.

A aeronave foi enviada para a França após os técnicos da companhia não conseguirem resolver o problema, que causa dores de cabeça e irritação nos olhos pela tripulação e passageiros.

A companhia aérea baseada em Nouméa recebeu seus dois aviões A330-900 com motores Rolls Royce Trent 7000 em julho e outubro deste ano, substituindo dois aviões A330-200 que operam em rotas do território da ilha do Pacífico francês para a Austrália, Japão e outras ilhas do Pacífico.

A aeronave envolvida, registrada no F-ONET, foi retirada de serviço após um voo para Sydney, após reclamações de um forte cheiro de óleo na cabine, o que causou dores de cabeça e irritação nos olhos.

As inspeções da aeronave em Nouméa não identificaram ou resolveram o problema, resultando no retorno da aeronave a Toulouse para inspeção adicional em 18 de novembro, confirma a companhia aérea. O outro A330-900 permanece em serviço.

A TAP Air Portugal enfrentou no início deste ano o mesmo problema em alguns dos seus novos A330-900neo.

 

DEIXE UMA RESPOSTA