Alaska Airlines Boeing 737 MAX

A Alaska Airlines precisou modificar seus planos para 2022 e consequentemente para os dois próximos anos. O Airbus A320 será aposentado da frota da empresa no começo do próximo ano, isso significa que foi antecipado em um ano.

O Airbus A320 foi uma aeronave herdada da compra da Virgin América em 2016, até então a Alaska era uma companhia que operava exclusivamente aeronaves da Boeing.

A companhia também está se desfazendo dos Airbus A319, no qual oito de dez aeronaves estão estocadas. Segundo estimativas, o Airbus A321 também deverá ser retirado ao final de 2023. A frota regional será concentrada apenas em aeronaves Embraer 175, aposentando todos os Dash 8.

A aposentadoria da aeronave A320 não é o maior problema enfrentado pela companhia aérea, a falta de funcionários é o maior problema da empresa atualmente. Com o aumento também dos preços dos combustíveis, a Alaska precisou alterar seu planejamento.

A companhia precisou cancelar diversos voos até o final de junho pela falta de tripulantes e o aumento dos custos operacionais. A Alaska disse que planeja contratar mais 800 tripulantes, sendo todos pilotos. Desses, 200 seriam destinado as operações regionais da empresa.

“Estamos no caminho certo para o lado regional”, disse o CEO, Ben Minicucci.

Até o momento segundo Minicucci, foram contratados 300 pilotos para as principais rotas da Alaska. O executivo disse ainda que uma parte dos contatados não pode seguir com o cronograma da empresa para os voos até junho, e isso causou os cancelamentos. 

A contratação também está alinhada a expectativa da Alaska de receber novas aeronaves Boeing 737 MAX 9, para se juntar aos outros 737s da série NG. Atualmente a companhia tem 28 A320 e 8 A321.

 

Com informações da Routes.