Boeing 777 American Airlines

Em meio ao grande problema de escassez de funcionários, a American está negociando com seus pilotos para proporcionar melhores condições de salários e benefícios.

Em um vídeo divulgado internamente, o CEO Robert Isom detalhou que fez uma proposta de aumento salarial de 17% entre outros melhorias em relação a benefícios, a nova oferta foi apresentada oficialmente para a Associação de Pilotos.

Buscando alternativas para conseguir manter o atual quadro de funcionários mesmo que ainda a baixo do que se necessita para manter as operações, a American seguiu os passos da United que havia também entrado em acordo com seus pilotos.

O setor aéreo dos EUA vive uma grande escassez de funcionários, tanto para tripulantes de voo e de cabine como também profissionais que atuam nos aeroportos. 

Neste período de férias que incluem viagens do feriado de 4 de julho, o país viveu um caos com mais de 10 mil voos sendo afetados, principalmente nas grandes empresas como American, Delta e United.

Robert Isom detalhou em vídeo interno que o aumento da base salarial será de 17% até 2024, além do pagamento superior em outros benefícios e mais 50% de todas as atribuições que incluem também as reservas.

“Para colocar isso em dólares reais, até o final do acordo, considerando apenas o salário base, um capitão narrowbody no topo da escala ganharia cerca de US$ 340.000 por ano – US$ 45.000 a mais por ano do que ganha hoje”, explicou Isom. 

“Um capitão widebody no topo da escala ganharia cerca de US$ 425.000 por ano, ou US$ 64.000 a mais por ano. Se você adicionar quaisquer prêmios atuais ou propostos e a contribuição de 16%, US$ 401.000 da empresa, os aumentos se tornarão ainda maiores”, completou o executivo da American.

Isom também fez questão de ressaltar a importância dos profissionais que realizam treinamentos com os pilotos, nos quais também receberão aumento da base salarial. 

O executivo disse que está buscando assinar o acordo o mais rápido possível para reforçar o programa de treinamento da American, que poderá abrir para novas contratações assim que tudo for acordado.

“Isso nos permitirá contratar mais pilotos, receber aeronaves de fuselagem estreita e larga e, o mais importante, criar muito mais posições de capitão. Contrato à parte, a melhor maneira de aumentar a remuneração de um piloto é passar de Primeiro Oficial para Capitão, e de fuselagem estreita para larga. Esta proposta nos permitirá fazer muito mais disso! E neste momento”, ressaltou o CEO.

 

 

Com informações do Aerotime.