Itapemirim
Foto: Gabriel Benevides/Aeroflap

Sem voar desde a última sexta-feira (17/12), a Itapemirim Transportes Aéreos pausou temporariamente as suas atividades após funcionários terceirizados de solo encerrarem a prestação de serviços para a companhia aérea, mas se depender do presidente da companhia, Sidnei Piva, a ITA Transportes Aéreos tem tudo para retomar as suas operações.

Durante uma entrevista ao jornal O Estado de São Paulo, Piva enfatizou que a companhia aérea do Grupo Itapemirim “estará apta para voltar em breve”. Além disso, o executivo revelou que o contrato de prestação de serviços com a Orbital deveria se encerrar apenas em 10 de janeiro de 2022, para que então a Itapemirim assumisse as operações de atendimento que antes eram exercidas de forma terceirizada.

“Suspenso não é cancelado. Quando voltarmos, teremos de preencher todos os questionários da Anac, mas a Itapemirim deverá estar apta para voltar em breve”, disse Piva ao jornal O Estado de São Paulo.

Por outro lado, Rubens Filho, presidente da Orbital, respondeu às declarações de Sidnei Piva em sua entrevista ao jornal O Estado de São Paulo afirmando que as falas de Piva são “inverdades”, e que a Orbital segue atendendo os passageiros da Itapemirim afetados pelo encerramento temporário da companhia sem saber se a prestadora receberá pelos seus serviços prestados.

A ANAC já enviou um Auto de Infração para a ITA no último domingo (19/12), neste, a agência notifica a companhia para que estes dados sobre os passageiros que tiveram seus voos cancelados sejam enviados urgentemente. A Itapemirim não compartilhou dados sobre a relação de voos cancelados, passageiros afetados e reacomodações que foram realizadas.

Apesar do cenário de incerteza acerca da companhia aérea, uma reportagem do UOL afirma que a Itapemirim notificou o Procon-SP e que retomará as suas atividades no dia 17 de fevereiro de 2022. Enquanto isso, o órgão pressiona a companhia para que o ressarcimento seja feito de forma imediata aos passageiros afetados pelo encerramento temporário das operações.

Quando questionada sobre os estornos, a Itapemirim afirma já ter devolvido R$ 7,8 milhões em pedidos de reembolsos somente durante os dois primeiros dias úteis após a sua paralisação das operações, e que “os valores serão estornados aos clientes diretamente na fatura do cartão de crédito em um prazo de até 30 dias. A ITA enviará diariamente às operadoras todos os pedidos de reembolso solicitados no dia anterior”, afirmou a companhia em uma nota. 

Com informações: O Estado de São Paulo e UOL

DEIXE UMA RESPOSTA