Cockpit do 737 MAX 8. Foto - Boeing/Leo Dejillas

A atualização de software para o Boeing 737 MAX deverá ser lançada até o fim deste mês pela Boeing, em uma rápida ação para permitir que o avião volte a realizar voos comerciais.

A atualização está sendo desenvolvida desde novembro, quando os primeiros dados sobre  o acidente com um Boeng 737 MAX 8 da Lion Air foram divulgados. No mais tardar ela será lançada na primeira quinzena de abril, mas depende da aprovação da FAA, que inclui testes em simuladores e em uma aeronave real, da frota de testes da Boeing.

A atualização trabalha alterando duas características do sistema de voo do 737 MAX, a Boeing ressalta que esse procedimento é para “tornar uma aeronave já segura mais segura”.

A parte principal é concentrada no sistema MCAS (Maneuvering Characteristics Augmentation System), que agora limita os comandos do computador relacionados ao profundor, anulando manobras agressivas, e melhora a leitura dos sensores, desconsiderando leituras errôneas de sensores com defeito.

A Boeing acrescentou que “o sistema não controla a aeronave em uma condição de voo normal, sem falhas, mas melhora seu comportamento em uma parte não normal do envelope operacional.”

A Boeing disse que colocou esse sistema automático pois o 737 MAX ficou mais propenso à problemas relacionados ao estol (perda de sustentação) em alto ângulo de ataque devido aos novos motores com maior carenagem e tamanho, além das alterações nas asas.

O sistema tem uma característica de evitar que a aeronave entre em uma condição de estol, que é quando o avião perde a sustentação das asas.

A fabricante disse anteriormente que vai atualizar manuais e procedimentos em treinamentos, os pilotos ficarão cientes do novo funcionamento do sistema MCAS, e seções em simuladores serão realizadas pelas companhias aéreas que operam com o 737 MAX.