Sukhoi Su-35 Rússia Ucrânia
Su-35S decolando com mísseis R-73 de curto-alcance, R-77 de médio-alcance e pods L005. Foto: MD Russo.

No início de março a Ucrânia declarou ter derrubado dois caças Sukhoi Su-35 da Rússia, contudo, sem fotos que comprovassem a ação. Em seguida, a Rússia divulgou a participação do Su-35 na guerra entre os países, mesmo assim sem fotos de uma aeronave destruída.

Contudo, um ataque realizado neste domingo (03) comprovou com uma foto um abate do caça russo Su-35. A operação ocorreu nas proximidades de Izium, no leste da Ucrânia, uma cidade localizada perto de Kharkiv, e que as forças russas tentam dominar a cidade.

Desta forma, a foto abaixo é a primeira comprovando a destruição de um caça Sukhoi Su-35 em território ucraniano.

https://twitter.com/IAPonomarenko/status/1510593979678707714

O piloto do Sukhoi Su-35 Flanker se ejetou da aeronave e está vivo. Forças da Ucrânia capturaram o militar que está preso atualmente.

Em um vídeo divulgado pela Rússia anteriormente o Su-35 estava equipado com mísseis R-73, R-77 e Kh-31, bem como pods de contramedidas eletrônicas L175 Khibiny nas pontas das asas. 

Uma análise dos destroços apontam que o avião estava em uma condição de missão SEAD (Supressão de Defesas Aéreas Inimigas), voltada para guerra eletrônica e destruição localizada de alvos.

O Sukhoi Su-35 é conhecido pela sua ampla capacidade de atuar em uma guerra eletrônica, com presença de radares e sensores diversos por toda a aeronave. Além disso, a capacidade de manobra do caça impressiona, apesar de ser pouco utilizada neste tipo de missão na Ucrânia.

O Su-35S é a variante mais moderna da chamada “Família Flanker”, que teve início com o Sukhoi Su-27 ainda na década de 1970. É um caça de 4.5 Geração, equipado com um par de motores turbofan Saturn AL-41F1S com bocais móveis (empuxo vetorado), tornando-o super manobrável. O caça também possui 12 pontos duros para carregar diversos armamentos como mísseis ar-ar, ar-solo e antirradar, bombas guiadas, foguetes e outros, além de portar um canhão GSh-30-1 de 30mm, com 150 munições. Seus dois principais sensores são o radar de varredura eletrônica passiva (PESA) IRBIS-E e o IRST (Infrared Search and Track) OLS-35.

 

Texto: Pedro Viana/Gabriel Centeno – Aeroflap

Fonte: The Aviationist