Aeronave da Avianca em Congonhas. Foto - Pedro Viana/Aeroflap

A Avianca Brasil, que iniciou uma drástica redução de força de trabalho de seus tripulantes na última segunda-feira (13/05), deverá demitir cerca de 200 pilotos e 700 comissários até esta quinta-feira (16/05).

Até o momento, cerca de 600 demissões já foram efetuadas.

O Sindicato Nacional dos Aeronautas ressaltou em nota que está acompanhando e assessorando os tripulantes convocados para desligamento, além de estar tomando as providências cabíveis em relação aos direitos de todos.

O SNA destacou ainda que, devido ao atraso nos pagamentos de salários e outras verbas e o consequente clima de incerteza gerado para os pilotos e comissários, situação que pode afetar a segurança de voo, a categoria deliberou por iniciar uma greve na sexta-feira, dia 17 de maio, a partir das 6h, suspendendo todos os voos nos aeroportos de Congonhas e Santos Dumont.

Essa demissão é também resultado do abrupto encolhimento da frota da companhia aérea, que perdeu cerca de 30 aviões nos últimos dias de abril. Muito do efetivo da empresa, após o fechamento de diversas bases, está exercendo “homeoffice”.

Além disso, a equipe do Portal Aeroflap apurou que há diversos comandantes e co-pilotos da Avianca Brasil com carteira vencida ou perto de vencer, algo que pode justificar essas demissões. Os pilotos de companhia aérea devem renovar a cada 12 meses sua carteira, que autoriza o tripulante a assumir voos comerciais.

 

Com informações de Sindicato Nacional dos Aeronautas.