Feito por Rafael Payão – Diretor da Clear Prop Aeronaves.

Vez ou outra, somos surpreendidos com preços de venda de um modelo de aeronave e nos perguntamos como é possível. Um exemplo real e atual é o que vem acontecendo com os valores de King Air série 90, aonde, um C90GTx com seis anos de idade em 2019 chegava a ser anunciado e vendido em torno de 2.5 milhões de dólares; no entanto, hoje, esse mesmo avião com a mesma idade não pode mais ser encontrado abaixo dos 3.5 milhões de dólares. Houve uma valorização de pelo menos 40 a 60% nos preços de algumas aeronaves corporativas, bem acima do IPCA acumulado no período. Mas afinal, o que influencia essa “super” valorização?

Antes de seguir adiante com esse artigo, convidamos você, caro leitor, a seguir a @clearpropaeronaves nas redes sociais. Aproveito para informar que em agosto lançaremos um software capaz de calcular um orçamento anual da aeronave que escolher, de forma gratuita. Acompanhe a gente para novidades.

Voltando ao assunto, vários fatores podem contribuir para a valorização de uma aeronave. No entanto, não abordaremos detalhadamente cada fator de influência, tampouco requisitos operacionais de cada um para não deixar esse artigo enorme, mas, vamos ao mais importante, a oferta e demanda que define a liquidez de venda.

Adam Smith não poderia ter sido mais claro quando descreveu o que chamamos hoje de Lei da Oferta e Demanda que funciona com tudo, até mesmo com o mercado de compra e venda de aeronaves.

Enfim, como não pretendemos analisar modelo por modelo de aeronave disponível, vamos tomar como base os 10 maiores totais de aeronaves voando regularmente no país, aeronaves particulares (TPP).

Tabela 1 – Total de aeronaves particulares voando no Brasil

 

 

 

 

 

 

abr/22

 

 

Posição

Modelo

 

 

 

Seneca (todos)

(621 aeronaves)

 

 

King Air (todos)

(495 aeronaves)

 

 

Corisco

(366 aeronaves)

 

 

Baron (todos)

(359 aeronaves)

 

 

Bonanza (todos)

(357 aeronaves)

 

 

Cirrus (todos)

(351 aeronaves)

 

 

Cessna 182

(311 aeronaves)

 

 

Cessna 172

(254 aeronaves)

 

 

Cessna 210

(170 aeronaves)

 

 

10°

PA46 (todos)

(163 aeronaves)

 

 

 

   

 

 

 

 

 

 

Fonte: RAB. ANAC. Abril de 2022.

Se olharmos somente esta tabela, cairíamos no equívoco de achar, por exemplo, que o Seneca é atualmente o melhor avião de mercado, mas, calma! Vamos analisar agora, a variação média ao mês dos últimos seis meses, dos dez maiores números registrados no RAB.

 

 

Tabela 2 – Variação de total de aeronaves executivas no período, voando.

 

 

abr/22

mar/22

fev/22

jan/22

dez/21

nov/21

 

Var. média

King Air (todos)

495

490

477

472

458

447

 

2,1%

a.m.

Bonanza (todos)

357

345

341

341

340

331

 

1,5%

a.m.

PA46 (todos)

163

156

158

159

159

154

 

1,2%

a.m.

Cirrus (todos)

351

352

352

353

351

338

 

0,8%

a.m.

Baron (todos)

359

354

357

358

364

348

 

0,6%

a.m.

Corisco

366

363

366

346

363

359

 

0,4%

a.m.

Cessna 182

311

315

317

312

310

306

 

0,3%

a.m.

Cessna 172

254

256

259

251

252

251

 

0,2%

a.m.

Seneca (todos)

621

628

630

608

631

628

 

-0,2%

a.m.

Cessna 210

170

173

174

174

172

177

 

-0,8%

a.m.

Fonte: RAB. ANAC. Nov/21 – Abr/22.

           

 

Perceba agora, o quanto muda a percepção de liquidez das aeronaves. O Seneca, que parecia ser o tão querido pelos brasileiros, mostra uma queda média ao mês de 0,2% do total de aeronaves registradas, quase a pior retração.

Por outro lado, note a variação média mensal espetacular dos King Air (todas as versões e modelos), seguida dos Bonanzas e principalmente dos PA46, que englobam o M350 (e Matrix), o M500 (e Meridian), JetProp e o M600.

Agora, vamos analisar numa perspectiva maior.

Tabela 3 – Variação de total de aeronaves de 2017 a 2022, voando.

 

 

abr/22

abr/21

abr/20

abr/19

abr/18

abr/17

 

Var. média

PA46 (todos)

163

144

136

124

117

110

 

8,2%

a.a.

King Air (todos)

495

425

401

392

390

383

 

5,4%

a.a.

Cirrus (todos)

351

342

341

328

332

329

 

1,3%

a.a.

Bonanza (todos)

357

336

352

349

361

350

 

0,5%

a.a.

Corisco

366

361

381

378

390

394

 

-1,4%

a.a.

Cessna 172

254

258

279

276

279

278

 

-1,7%

a.a.

Seneca (todos)

621

613

646

659

694

710

 

-2,6%

a.a.

Baron (todos)

359

364

401

400

434

426

 

-3,3%

a.a.

Cessna 182

311

334

365

371

395

397

 

-4,7%

a.a.

Cessna 210

170

171

197

206

214

233

 

-6,0%

a.a.

Fonte: RAB. ANAC. Abr/2017 a Abr/2022.

           
                     

 

Analisando a variação do total de aeronaves voando de abril de 2017 até abril de 2022, vemos uma variação positiva de todos os PA46 (Meridian, M500, M600, Matrix, M350, JetProp), seguido dos King Air (série 90, 200 e 300), Cirrus (SR22, SR22T, SR20) e Bonanzas (séries 33, 35 e 36). Todos os outros modelos que no Brasil ocupam as dez primeiras posições quanto ao total voando, apresentam queda significativa ao ano, tendo o pior número de variação anual dos Cessna 210 e 182 e, por fim, do Baron (55 e 58), que tinha um número em abril de 2017 próximo ao que tem hoje, todos os modelos de King Air.

Em complemento à última afirmação, é curioso notar o movimento distinto de mercados estrangeiros (mundo todo), como vemos na tabela abaixo.

Tabela 4 – Entrega de aeronaves novas no mundo em 2021

2021

 

1 °

SR22T

(230  unidades entregues)

2 °

172S

(166  unidades entregues)

3 °

SR22

(131  unidades entregues)

4 °

DA40

(122  unidades entregues)

5 °

PA28-181

(89  unidades entregues)

6 °

PC12

(88  unidades entregues)

7 °

SR20

(81  unidades entregues)

8 °

DA42

(55  unidades entregues)

9 °

TBM

(51  unidades entregues)

10 °

T206H

(50  unidades entregues)

 

   

Fonte: GAMA. 2021.

De todas as aeronaves a hélice, vimos com recorrência os produtos da Cirrus, justificando a variação média ao ano positiva no Brasil, conforme tabela 3 deste artigo. Mas, não vemos entrega de King Air, de aviões da linha Malibu da Piper e tampouco Bonanza.

Agora, note a entrega de aeronaves novas de 2008 a 2021.

Tabela 5 – Entrega de aeronaves novas no mundo de 2008 a 2021.

2008 – 2021 (no mundo)

 

Posição

Aeronaves

 

1 °

SR22

(2.145 unidades entregues)

2 °

Cessna 172S

(1.900 unidades entregues)

3 °

Cirrus SR22T

(1.741 unidades entregues)

4 °

Diamond DA40

(1.331 unidades entregues)

5 °

Pilatus PC12

(1.111 unidades entregues)

6 °

Cessna 208B/EX

(1.073 unidades entregues)

7 °

Piper PA28-181

(794 unidades entregues)

8 °

King Air 350

(715 unidades entregues)

9 °

Diamond DA42

(692 unidades entregues)

10 °

TBM

(658 unidades entregues)

11 °

Cessna T206H

(628 unidades entregues)

12 °

Cessna 182T

(590 unidades entregues)

13 °

King Air série 200

(424 unidades entregues)

14 °

Piper M350

(359 unidades entregues)

15 °

Piper M500

(343 unidades entregues)

 

 

 

Fonte: GAMA. 2008 – 2021.

 

 

Além de equipamentos Cirrus, agora sim notamos a recorrência de dois modelos King Air e um da linha Malibu, o M350, sucessor do Matrix.

Outro fator que pode precificar o valor de um avião é o fato de ainda estar em produção, que também pode representar uma maior retenção de valor e dispersão geográfica, do que modelos cujas fabricantes anunciaram encerramento. Assim como os equipamentos que foram recém-lançados com projetos e conceitos inteiramente novos também costumam ter maior resistência no mercado. Veja a tabela abaixo, alguns dos modelos recém-lançados. Note a pequena aceitação de alguns que ainda se mantém praticamente estagnados no mercado brasileiro com um total muito baixo.

Tabela 6 – Variação de total de aeronaves recém-lançadas, voando.

   

 

abr/22

abr/21

abr/20

abr/19

abr/18

abr/17

 

Var. média

Diamond DA62

19

15

13

5

2

1

 

90,4%

a.a.

Kodiak 100

3

3

3

3

3

3

 

0,0%

a.a.

Cirrus SF50

3

2

2

0

0

0

 

25,0%

a.a.

Honda HA-420

3

3

3

2

0

0

 

16,7%

a.a.

Fonte: RAB. ANAC. Abr/2017 a Abr/2022.

           

 

Diferentemente com o que aconteceu com o Diamond DA62 que demonstrou uma aceitação espetacular pelo mercado nacional, os outros equipamentos ainda possuem números muito baixos.

Diamond DA62
Diamond DA62

Esta tendência pode não seguir o mesmo caminho, considerando todas as entregas mundiais, conforme a tabela abaixo.

Tabela 7 – Variação de total de aeronaves recém-lançadas, entregues no mundo.

 

2021

2020

2019

2018

2017

Var. média

 

Diamond DA62

33

26

30

36

33

1,5%

 

a.a.

 

Kodiak 100

17

11

20

23

31

-7,3%

 

a.a.

 

Cirrus SF50

86

73

81

63

22

55,7%

 

a.a.

 

Honda HA-420

37

31

36

37

43

-2,8%

 

a.a.

 

Fonte: GAMA. 2021-2017

             

 

Numa visão macro, como demonstrado acima, o Cirrus SF50 se torna o campeão quanto à variação média anual de aeronaves entregues; e o Diamond DA62 tem uma entrega ainda sutil – estão em caminhos opostos.

Cirrus SF50
Cirrus SF50

Num mercado de grandes jatos de companhia aérea, o mesmo acontece. Apenas por curiosidade, lembram-se do lançamento do Boeing 787-3? Este avião havia sido desenvolvido pra atender rotas curtas como as que ocorrem predominantemente na Ásia. O projeto caiu, porque não houve encomendas e nunca foi produzido um. Os pedidos ficaram focados no B787-8.

Outro exemplo da oferta e demanda, ainda no mercado de grandes jatos de companhia aérea, um Boeing 767-300ER, que é um grande “widebody”, costuma ter um valor de mercado muito menor que um pequeno – porém mais novo – Boeing 737-800. Isso porque o último possui maior demanda no mercado, sem contar que ainda encontra-se em produção.

Boeing BBJ (737)
Boeing BBJ (737).

Tabela 8 – Preço de mercado de aeronaves para cia aérea (2017)

AERONAVE

VALOR BASE 2018

ANO DA AERONAVE

B767-300ER

20.0 mi usd

2008

B737-800

24.1 mi usd

2008

B737 MAX 8

44.3 mi usd

2016

B747-8

76.9 mi usd

2009

A380-800

75.5 mi usd

2008

Fonte: Avitas Jet Aircraft Values (2017-37). 2017.

Enfim, comprar um avião (ou helicóptero) deve ser a sensação mais prazerosa que deve existir, mas, nada adianta tomar esta decisão sem considerar o destino desse equipamento quando não for mais preciso. Quero dizer, haverá compradores disponíveis quando colocar seu avião ou helicóptero a venda? O mercado vai absorver quando quiser vender?

Para não correr o risco de “casar” com uma aeronave, entre em contato com a Clear Prop! Trabalhamos com a informação completa, detalhada e inteligente. Não aceite conselhos e opiniões de corretores ou outros que não te mostram ao menos a referência de qualquer informação. Duvide e peça comprovação sempre, caso contrário, cometerá o mesmo risco de comprar um avião pela opinião de um padeiro que não entende nada de aviação.