O mercado de compra de aeronaves está aos poucos mudando, e no último ano tivemos um ponto importante a destacar.

De acordo com informação da Avalon, em 2019 cerca de 50% das entregas da Airbus e da Boeing foram para empresas de leasing.

O leasing é uma forma de arrendamento de aeronaves, sendo composto por várias modalidades, como o leasing operacional, onde somente a aeronave é arrendada, o leasing financeiro, semelhante a um financiamento, que dá direito de uso do avião após o término do período de pagamento, e o Wet-Leasing, que não está nos dados da Avalon.

O leasing de uma aeronave permite que a companhia consiga crescer rapidamente, visto que não precisa dispor de um grande capital de investimento para colocar mais aviões na sua frota.

Jim Morrison, vice-presidente de avaliação de aeronaves da Avalon, falou dos problemas que a indústria enfrentou no ano passado, incluindo a crise do 737 MAX, que continua em 2020.

“A indústria da aviação enfrentou as repercussões dos trágicos acidentes do B737 MAX enquanto a Airbus enfrentava atrasos na entrega de aeronaves. Durante 2019, vimos mais de 20 companhias aéreas entrarem em falência, mas, apesar disso, o lucro líquido das companhias aéreas globais permaneceu robusto em cerca de US$ 26 bilhões. Essas falhas sustentaram a afirmação de nossos anos anteriores de que, apesar dos altos fatores de carga, havia muitos assentos baratos disponíveis”.

Apesar dos desafios, a empresa também afirmou que o mercado de leasing de aeronaves deve continuar a crescer em 2020, movimentando mais de US$ 150 bilhões ao longo deste ano.


 

DEIXE UMA RESPOSTA