A Azul falou ontem abertamente um pouco mais sobre a manutenção das suas aeronaves, incluindo também o planejamento futuro da companhia para expandir a sua capacidade de receber aeronaves.

Atualmente a Azul tem uma capacidade instalada no Aeroporto da Pampulha com cinco hangares, alguns de herança da Trip e que a empresa expandiu a área de atuação nos últimos anos, através da compra de novas áreas. Fora isso a Azul conta com a manutenção da TAP ME, que está cancelando as suas operações no Brasil atualmente.

Esse conjunto de fatores levou à antecipação do plano da Azul de inaugurar um novo hangar de manutenção no Aeroporto de Viracopos, que em breve será também o maior do Brasil e da América Latina.

O novo hangar da Azul em Viracopos terá sua construção iniciada entre 2018 e 2019, e inaugurado até o último trimestre de 2019. Esse prazo não deverá sofrer atrasos além de 2020, devido à urgência da companhia, de acordo com Antonio Eick, o Gerente Geral de Manutenção de Aviões da Azul.

O local deverá ser capaz de receber internamente cerca de oito aviões Airbus A321neo, ou um A330neo e mais quatro aviões A321neo, fora a capacidade externa do hangar. Vale ressaltar que a Azul planeja dividir sua força de manutenção, deixando Viracopos com as maiores aeronaves, como o A321neo, A330neo e os atuais A330ceo, enquanto Pampulha cuida das aeronaves menores, os ATRs, E-Jets e A320neo.

Vale ressaltar que o hangar de manutenção em Viracopos também poderá receber o A320neo, em caso de superlotação das instalações de Pampulha.

Antonio Eick ressaltou que o novo hangar foi projetado com conceitos modernos, a mesma experiência dele em manutenção na TAP ME que proporcionou uma melhoria bruta dos métodos de manutenção em Pampulha, foram replicados para que o hangar em Viracopos ofereça uma maior facilidade para os técnicos, e não apresente entraves na hora da manutenção de uma aeronave.

São cerca de 165 metros de abertura frontal para receber as aeronaves, maior até que o hangar da TAP ME no Rio de Janeiro.