Boeing 747 da British vai voar pela última vez nessa quinta-feira (08)

Foto - Nick Morrish/British Airways

Cada vez mais deixaremos de ver os icônicos quadrimotores voando pelo mundo. A medida que a tecnologia avança, os motores ficam mais potentes e econômicos, as companhias aéreas dão preferência a aeronaves com dois motores. 

Há algum tempo a British Airways tem o Boeing 747 como sua principal aeronave, o seu quase “Flagship”. Desde a aposentadoria do Concorde, as atenções da empresa e seus clientes se voltaram a rainha dos céus britânica. 

Agora com novas e modernas aeronaves e consequentemente mais econômicas, o reinado do Boeing 747 está chegando ao final. Durante meio século, o 747 operou em Londres através da BOAC e depois da British Airways. Apenas duas aeronaves permanecem na frota, os de matrícula G-CIVB e G-CIVY. Sendo o G-CIVB com a pintura vintage.

Boeing 747
Foto – Nick Morrish/British Airways

O reinado vai tem data para chegar ao fim: 8 de Outubro de 2020, será o último voo de um Boeing 747 pela British Airways partindo de Londres, e lá se vai uma bonita história de um dos aviões mais conhecidos do mundo. 

A companhia aérea ainda não divulgou os horários e informou ainda que poderá haver alterações nos voos em razão do tempo adverso. A British já aposentou várias aeronaves ao longo dos anos, e como tradição, sempre houve uma grande cerimonia com festa de despedida.

Entretanto com a pandemia da Covid-19 ainda se proliferando pelos países, a festa de despedida do Boeing 747 será bem discreta. Apesar da despedida, a companhia ainda tem outros 747 parados em Carfiff.

A partir de agora novos tempos e aeronaves para a British, a companhia opera agora os Airbus A350 e o Boeing 787 para rotas onde o jumbo operava. Além deles, a British possui ainda 12 Airbus A380 que estão estocados devido a crise.


A nova aeronave a integrar a frota da British, é o Boeing 777X que tem previsão de entrega para 2022. Podendo ser atrasada a entrega se os cronogramas da Boeing não se cumprirem a tempo.

 

DEIXE UMA RESPOSTA