Icelandair Boeing 767-300
Foto: Divulgação

Um operação em um local diferente, mas que é acostumado a receber aviões algumas vezes. Dessa vez um Boeing 767 da Icelandair, da Islândia realizou uma operação de um voo fretado pela empresa Loftleidir.

Os pesquisadores da Loftleidir foram realizar pesquisas na Estação de Pesquisa do Instituto Polar Norueguês.  O Boeing 767 escolhido para a missão de buscar os pesquisadores foi um da versão -300ER de matrícula TF-ISN. A aeronave foi entregue inicialmente a Air New Zealand em 2000, chegando a Icelandair em 2015.

Para realizar essa operação, foram chamados 20 tripulantes, sendo 6 pilotos, 13 comissários de bordo e 1 mecânico. O Boeing 767 decolou de Keflavik(KEF) rumo a Cidade do Cabo(CPT) na África do Sul. Após a escala na cidade africana o Boeing seguiu para a Antártica. 

“O transporte de ida e volta para o Troll(Campo de Pesquisa) é realizado em uma pista de pouso de 3.000 metros de extensão, Troll Airfield, localizada no gelo azul a sete quilômetros da estação de pesquisa. A pista de pouso funciona no verão antártico, normalmente entre novembro e fevereiro, e é reservada para atividades científicas e não pode ser usada por operadores comerciais ”. Disse o Instituto de Pesquisa Norueguês.

Para se realiazar uma operação na Antártica é necessário seguir todos os protocolos e padrões exigidos pelo Protocolo de Proteção Ambiental do Tratado da Antártica. Durante o verão o Instituto realiza pelo menos dois voos por mês para a Antártica.