Boeing 737 MAX
Jatos 737 MAX groundeados. Foto: Lindsey Wasson/Reuters.

Além do problema enfrentado pela Boeing sobre o MCAS do 737 MAX, a fabricante durante a pandemia ainda precisou enfrentar outro: Alguns aviões que foram produzidos, e estavam estocados, ficaram sem clientes ao longo do período.

Isso ocorreu devido aos cancelamentos e prorrogações nas entregas de aviões a partir da s companhias aéreas. Cerca de 100 aviões ficaram conhecidos dentro da empresa como “cauda branca”, termo utilizado para uma aeronave já produzida, mas sem cliente.

Contudo, a Boeing está obtendo sucesso em direcionar esses aviões para outros clientes. De acordo com uma publicação do The Wall Street Journal, atualmente só 10 aviões são considerados “cauda branca”, ou seja, sem clientes.

Isso está sendo possível através da recuperação do mercado de aviação, que aumenta a demanda por novos aviões, e também devido aos descontos que a Boeing aplica para a companhia que aceita receber um avião adicional na sua frota.

A United Airlines e a Alaska são as duas companhias aéreas que estão acelerando as entregas do MAX nos últimos meses.

Atualmente a Boeing tem cerca de 350 aviões 737 MAX em estoque, aguardando a entrega para os clientes. A previsão da empresa é ter menos de 100 aviões em estoque até o final de 2021, apesar de continuar com a produção da aeronave.