Boeing é processada em US$ 336 milhões por pedido cancelado do 737 MAX

Foto - REUTERS/Lindsey Wasson

Uma empresa de leasing no Kuwait processou a Boeing em US$ 336 milhões, pela recusa da fabricante de devolver pagamentos antecipados pelas 40 aeronaves encomendadas pela ALAFCO Aviation Lease and Finance.

A ALAFCO disse que cancelou seu pedido no dia 06 de março, depois da Boeing não honrar com a entrega de nova aeronaves, das 40 encomendas. O dinheiro nesse momento ajudaria a empresa, em um momento em que as companhias aéreas estão negociando o pagamento do leasing.

A empresa entrou com a ação em um tribunal federal de Chicago, onde acusou a Boeing de quebra de contrato por manter os pagamentos, apesar de não poder entregar os aviões ou fornecer um cronograma de entrega revisado.

A Boeing resistiu à sua alegação de que os problemas representavam um “atraso indesculpável” que justificaria o reembolso.

 

A Boeing suspendeu as entregas do 737 MAX em março de 2019, quando várias agências reguladoras proibiram os voos com as aeronaves desse modelo, após uma série de dois acidentes fatais em poucos meses, vitimando cerca de 346 pessoas.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA