Boeing 737 MAX
Foto: Boeing/Divulgação

Os aviões Boeing 737 NG e MAX, as duas versões mais modernas em operação, estão envolvidas em mais uma correção alertada pela FAA. Se esta não for realizada, pode resultar em descompressão rápida da aeronave.

De acordo com a FAA, alguns aviões podem sofrer rachaduras no encaixe do batente da porta dianteira do avião. Com essas rachaduras, a porta dianteira pode ser incapaz de suportar a força de pressurização, e abrir durante um voo.

A FAA aponta que as rachaduras são causadas pela fadiga do material da alça. O conjunto de problemas pode causar uma descompressão rápida da cabine da aeronave. Logicamente, essa condição oferece riscos aos tripulantes e passageiros, dependendo do incidente/acidente.

A aeronave e a companhia que relataram o problema não foram divulgadas pela FAA em sua Diretriz de Aeronavegabilidade (DA). 

A partir do dia 29 de março todas as companhias aéreas dos EUA devem fazer essa inspeção nas portas dianteiras dos seus aviões Boeing 737 NG/MAX.

Tradicionalmente essa inspeção deve ser realizada após 10000 ciclos de uso da aeronave. Contudo, a FAA disse que todos os aviões com mais de 5000 ou até mesmo que completaram 5000 ciclos após o dia 24 de janeiro de 2020 devem passar pela inspeção.

Se o problema for detectado, a FAA recomendou a substituição da porta e da alça de suporte, por novos modelos produzidos com outro material.

 

FAA – Administração Federal de Aviação dos EUA

Veja a DA emitida pela FAA Clicando Aqui.

Com informações de AeroTime.