Pilotos e Comissários. Foto - Air Canadá/Divulgação

A Boeing divulgou hoje sua nova previsão de demanda para o mercado de pilotos, incluindo todos os setores da aviação (executiva, comercial, geral e helicópteros).

De acordo com a fabricante americana, o mercado precisará de 790 mil novos pilotos nos próximos 20 anos, ou seja, até 2037. Isso representa o dobro de pilotos em atividade atualmente, e a melhor demanda estimada pela empresa nos últimos nove anos.

“Apesar do forte crescimento do tráfego aéreo global, o setor de aviação continua enfrentando um desafio de oferta de mão-de-obra piloto, levantando preocupações sobre a existência de uma falta pilotos globalmente no curto prazo”, disse Keith Cooper, vice-presidente de Treinamento e Serviços Profissionais da Boeing Global Services.

A meta da Boeing é fomentar essa demanda através da criação de novos centros de treinamento, incluindo parceria com várias escolas de aviação em todo o mundo, como forma de auxiliar os clientes da empresa na operação com as suas aeronaves.

Somente o setor de aviação executiva precisará de 155 mil novos pilotos.

 

E para mecânicos?

Apesar da maior demanda para pilotos, o mercado de técnicos em manutenção teve a demanda retraída, partindo de uma estimativa de 648 mil pilotos nos próximos 20 anos para 622 mil pilotos.

Somente o setor de aviação executiva precisará de 132 mil novos técnicos.

De acordo com a Boeing, a menor demanda atualmente é devido às melhorias incorporadas nas aeronaves de nova geração, que diminuem o período entre os tradicionais “checks” de manutenção.

 

Comissárias (os) de bordo

Assim como a demanda por pilotos, no mercado de tripulantes de cabine a Boeing estimou uma boa quantidade de novos profissionais.

Esse mercado precisará de 858 mil novos tripulantes nos próximos 20 anos, vale ressaltar que no mercado de aviação executiva a demanda é bem fraca, necessitando de somente 32 mil tripulantes.