Boeing 787 China Southern Airlines

A China Southern Airlines recebeu nos últimos dias dois aviões do modelo Boeing 787-9 Dreamliner. O que parecia uma operação corriqueira na verdade tornou-se um feito histórico.

A companhia foi a responsável por receber a 1000ª aeronave 787 Dreamliner construída pela Boeing, um marco na histórica da fabricante norte-americana, que em 2004 passou a apostar em uma nova geração de aeronaves.

Os dois aviões foram entregues em North Charleston, local onde a empresa está unicamente fabricando o 787 Dreamliner atualmente. Ambos foram levados conjuntamente para Xangai, na China, principal base da companhia aérea.

O 1000º 787 deveria ser da Singapore Airlines, no entanto a empresa desistiu de receber o avião, que continua estocado nas instalações da Boeing. Este é um 787-10 de matrícula 9V-SCP, com um adesivo ‘1000º 787’ na fuselagem.

O 787-9 da China Southern (B-20EH) pode até ser o 1000º avião 787 Dreamliner entregue pela Boeing, mas a fuselagem é registrada como a 980º fabricada pela Boeing (LN980).

A companhia, contudo, afirma o contrário. Veja na publicação abaixo:

De qualquer forma a China Southern tem outra marca legal para sua história. Em dezembro de 2018 a companhia recebeu o 787º avião 787.

 

Um pouco sobre o 787 Dreamliner

Entrega do primeiro 787 da ANA, em 26/09/2011. Foto – Boeing/Divulgação

A história do 787 Dreamliner começa em 2004, quando a Boeing anunciou o conceito, através de uma encomenda da All Nippon Airways, que também se comprometeu a estrear o novo avião da Boeing.

O Boeing 787 chegou para cobrir o mercado atendido pelo 767 (e suas variantes), apesar de ser bastante confiável as companhias já sentiam a necessidade de substituir seus aviões da linha 67 naquela época, os 20 anos de idade do projeto estavam pesando contra os custos operacionais, que um dia foram a verdadeira revolução nas viagens de longa distância.

O Boeing 787 Dreamliner custou caro, foi desenvolvido do zero, teve problemas pendentes que foram resolvidos após a certificação, porém foi um avião projetado para ser totalmente flexível, gerando uma versão que tem 250 passageiros por padrão, e outra que comporta até 330 passageiros.

Com uma fuselagem toda em materiais compostos, aerodinâmica refinada e novos motores, a Boeing prometia até 20% a menos de consumo de combustível em comparação com o 767.

A Boeing iniciou a montagem final da primeira unidade em maio de 2007, na fábrica de Everett. No dia 8 de julho de 2007 a fabricante apresentou finalmente o primeiro 787. Devido ao primeiro avião estar incompleto, a Boeing levou até 2009 para concluir e conseguir voar com a primeira unidade de testes, esse foi mais um atraso no desenvolvimento da aeronave.

O desenvolvimento da família 787 custou US$ 32 bilhões para a Boeing, contabilizando todas as três variantes e inclusive o 787-10 que ainda está em testes. A fabricante diz que já recuperou esse investimento, e o lucro das próximas aeronaves vendidas entrará diretamente no financeiro da companhia, sem precisar abater custos exorbitantes para corrigir vários erros de projeto.

Estima-se que o Boeing 787 já tenha recebido mais de US$130 bilhões de dólares em encomendas, desde que foi lançado oficialmente, mesmo com o prejuízo no desenvolvimento e o custo de produção, a aeronave figura entre os jatos mais rentáveis que a Boeing fabrica atualmente. A fabricante americana ainda espera mais encomendas para o 787, na medida que os aviões 767 e A330 envelhecem nas frotas das companhias aéreas.