Membro do grupo terrorista Boko Haram nos destroços do Alpha Jet supostamente abatido. Foto via RFI.

Na última sexta-feira (02) o grupo terrorista Boko Haram assumiu a responsabilidade pela queda de uma aeronave de ataque ao solo Alpha Jet da Força Aérea Nigeriana (NAF), afirmando que abateu a aeronave.

No dia 31 de março, a NAF informou que um de seus Alpha jet havia desaparecido durante uma missão de suporte no estado de Borno, no nordeste da Nigéria. 

No dia 02 de abril a facção divulgou um vídeo onde mostra o suposto abate do jato. De acordo com a Revista Força Aéreao site Global Sentinelng informou que em um vídeo divulgado pelo grupo seria possível ver restos mortais dos tripulantes e membros saqueando e vasculhando destroços da aeronave. 

No vídeo acima é possível ver o jato e uma explosão, seguida de imagens dos restos do avião. A Força Aérea contesta a veracidade das imagens, afirmando que o grupo terrorista não abateu o avião. 

Em comunicado divulgado no Facebook, a NAF afirma que é impossível uma aeronave explodir no ar da maneira que é vista nas imagens, apontando que partes do vídeo foram “deliberadamente adulteradas para dar a falsa impressão de que a aeronave foi abatida.”

A organização também diz que o vídeo ainda está sendo analisado.

Em outro comunicado, a NAF afirmou que os pilotos desaparecidos são os tenentes John Abolarinwa e Ebiakpo Chapele, tripulantes do Alpha Jet matrícula NAF475.

Restos do NAF475. Foto via Koko TV Nigeria.

De acordo com a Flightglobal, a Força Aérea Nigeriana possui 13 jatos Alpha Jet em serviço. Desenvolvido nos anos 1970 pela Dassault francesa e pela Dornier alemã, o avião é usado como aeronave de treinamento avançado e ataque leve. 

Além da Nigéria, o Alpha Jet também está em serviço na França, Catar, Togo, Marrocos, Tailândia, Egito e Camarões. O pequeno jato também é muito conhecido por ser usado pela equipe de demonstração aérea da Força Aeroespacial Francesa, a Patrouille de France.

Alpha Jet NAF475.