A China está estudando operar com o caça FC-31 em futuros porta-aviões. A informação foi veiculada por especialistas do setor militar chineses como o Exército de Libertação do Povo (PLA) estão comprando peças furtivas para o fabricante chinês de caças.

A unidade que poderá ser implantada nos futuros porta-aviões poderá também fazer operações contra navios tanto durante o dia quanto a noite, além de poder monitorar vários outros alvos.

Outra questão em torno do FC-31 é a sua real missão. Até então o caça tinha como foco a exportação, mas de acordo com os especialistas chineses isso pode estar mudando e o FC-31 poderá ser empregado de fato em missões de defesa aérea, tanto pela aeronáutica, quanto pela marinha a bordo de um porta-aviões.

Falando em porta-aviões, o terceiro da China está em construção e deve receber uma catapulta eletromagnética, para usar em seu convés o caça furtivo.

O jato monomotor e bimotor expandirá enormemente as capacidades dos grupos de batalha dos porta-aviões chineses, assim como o avião de combate furtivo mais avançado da China, o J-20, para a Força Aérea do PLA, disse o informante anônimo, ao Global Times.

O FC-31 fez o seu voo de estreia pública no Airshow China 2014 em Zhuhai, província de Guangdong, no sul da China, mas de lá para cá foram raras as aparições do caça chinês.