Caças Euroghter Typhoon da Luftwaffe e da RAF- Foto: RAF

Os caças Eurofighter Typhoon da Royal Air Force iniciaram uma missão de policiamento aéreo da OTAN que durará quatro meses na região do Báltico, depois de terem substituído os seus colegas alemães.

Os Typhoons do esquadrão XI (F), normalmente baseados na RAF Coningsby, em Lincolnshire, começaram sua missão OTAN Baltic Air Policing da Ämari Airbase na Estônia no dia 3 de maio depois de substituir os Eurofighters alemães do esquadrão Tactical Fighter Wing 71 “Richthofen” (Taktisches Luftwaffengeschwader 71 “ Richthofen”) da Luftwaffe (Força Aérea Alemã).

Caças Eurofighter britânicos e alemães sendo reabastecidos por um A-400 da Luftwaffe.  Foto: RAF

Representando a RAF na cerimônia de entrega, o vice-marechal, Ian Duguid, disse que o Comandante Aéreo Número 11 do Grupo:

“Temos trabalhado em estreita colaboração com a Força Aérea Alemã durante nossa preparação e compartilhamos ideias e experiências. Eles fizeram um excelente trabalho nos últimos oito meses e nos apoiaremos em nossa ampla experiência ao iniciarmos nossa própria missão”.

“Os nossos aliados da OTAN podem estar seguros de que o compromisso do Reino Unido com a Aliança permanece tão firme como sempre”, disse o Vice-Marechal do Ar, Ian Duguid.

Eurofighter Typhoon FGR4- Foto: RAF

Após a sua chegada à Estônia, no dia 24 de Abril, as tripulações da RAF Typhoon têm trabalhado com as suas homólogas alemãs para se prepararem para a missão da OTAN de fornecer uma capacidade de Alerta de Reação Rápida na área do Mar Báltico em redor da Estônia. Em 2 de maio, a responsabilidade pela QRA foi oficialmente entregue à RAF pela Luftwaffe em uma cerimônia.

O comandante do destacamento alemão, tenente-coronel Sebastian Fiedler, disse: “Depois de oito meses no comando, a Força Aérea Alemã deixará a Base Aérea de Ämari e entregaremos a missão a nossos amigos britânicos.”


Foto: RAF

“Estamos muito agradecidos pela amizade que sentimos e pelo excelente apoio da Nação anfitriã Estônia. Estamos ansiosos por voltar a garantir os céus da OTAN na região do Báltico, em estreita parceria com todos os outros membros da OTAN.”

 

Via – RAF