Clique Aqui e receba as principais Notícias da Aviação em tempo real diretamente no seu Whatsapp ou Telegram.

Caças Eurofighters da Espanha e caças da Romênia participaram do Exercício Naval Sea Shield

Eurofighter Typhoon espanhol- Foto: Força Aérea da Espanha

Três dos seis Eurofighters espanhóis destacados na Romênia como parte da missão aprimorada de Polícia Aérea da OTAN participaram do Exercício Naval Sea Shield que ocorreu no Mar Negro, de 23 a 25 de março. 

Eurofighters espanhóis destacados em Constanta, Romênia, para proteger o espaço aéreo na fronteira sudeste da Aliança, ao lado da Força Aérea Romena, participaram do exercício Sea Shield da multinacional romena. Forças navais de diferentes países da OTAN participam neste exercício, juntamente com as unidades das Forças Aéreas da Romênia e da Espanha, para aumentar a interoperabilidade marítima-aérea.

Eurofighter Typhoon da Espanha

“Este exercício apresenta uma grande oportunidade de treinamento para o pessoal da 11ª Ala Aérea destacada na Romênia. Além disso, esta operação demonstra a flexibilidade e interoperabilidade das forças da OTAN ”, disse o Comandante do Destacamento Espanhol, Tenente-Coronel José Enrique Hernández Medel. “Por outro lado, a participação dos Eurofighters espanhóis, dada a sua alta performance e capacidades, permite um aumento do nível de formação de que beneficiarão todas as forças participantes”, acrescentou.

O esforço aéreo consistia em surtidas diárias de Eurofighters espanhóis junto com F-16s e MiG-21s romenos. Eles desempenharam várias funções, desde atuar como agressores e assediar a força naval desdobrada até um ataque direto simulado à frota, incluindo perfis de mísseis ar-superfície e ataques de canhão.

O exercício foi encerrado com os Eurofighters espanhóis ficando ao lado das forças aliadas. Eles forneceram uma área de defesa para cobrir a força naval e protegê-la da força de ataque, que consistia em 2 caças F-16 e 2 Mig-21 da Força Aérea Romena. O programa detalhado permitiu que todas as unidades ajustassem suas táticas, técnicas e procedimentos e aumentassem a prontidão da Aliança na região.

Foto: OTAN

A participação dos Eurofighters espanhóis foi controlada pelo Centro Combinado de Operações Aéreas Torrejón, Espanha, e coordenada através do Centro de Controle e Relatório de Bucareste. Todas as operações aéreas da OTAN dentro da área de responsabilidade são monitoradas e controladas por meio dessa cadeia de comando. Nesta ocasião, também foi necessária uma estreita coordenação com as forças navais presentes na área, a fim de alcançar a máxima eficiência na execução das missões.

 

Fonte: NATO/OTAN