Foto - Divulgação

As funcionárias do atendimento ao cliente e Sala VIP do Aeroporto de Brasília terão em breve novos uniformes criados especialmente para elas. O modelo foi criado pelo estilista Carlos Eduardo Gonzaga, morador de Brusque, Santa Catarina para o Concurso Alpha Charlie. A Inframerica, administradora do terminal brasiliense, lançou no final do ano passado o concurso para que estilistas de todo o Brasil criassem os novos uniformes das funcionárias.

Na noite de ontem (13), Eduardo apresentou, vestido e sobretudo, no desfile que aconteceu no saguão de desembarque do Aeroporto de Brasília. Ele venceu outros quatro estilistas: Aryane Andrade de Guarulhos (SP); Katerine Dohnalova, participante da República Tcheca, mas que hoje mora em Brasília (DF); Ludymila Santana de Brasília (DF); e Victor Galeno de Brasília (DF).

“Para mim foi um privilégio participar do concurso Alpha Charlie. Estudei sobre Brasília, sobre o trabalho das atendentes aqui no aeroporto e simplifiquei bastante a minha criação inicial para chegar no modelo apresentado no desfile. Priorizei por uma modelagem confortável, moderna, com traços da arquitetura da cidade. Consegui tirar do papel o que eu queria e meu trabalho foi reconhecido”, diz Eduardo.

Foto – Divulgação

O vice-presidente da Inframerica, Juan Djedjeian foi um dos jurados do concurso, e frisou a importância do trabalho do estilista na hora de pensar em uma roupa que seja funcional para o dia a dia do atendimento ao cliente. “O concurso foi uma sacada muito legal porque pudemos escolher entre cinco opções de uniformes que foram projetados para que as nossas funcionárias trabalhassem confortáveis. Passamos todas as orientações aos estilistas e eles desenvolveram peças bonitas, modernas e, o mais importante de tudo, que funcionam no cotidiano do atendimento”, explica.

Além da roupa das funcionárias, os estilistas também desenvolveram as gravatas que serão usadas pelos funcionários homens.

O desfile

O saguão de desembarque do Aeroporto de Brasília se transformou em uma verdadeira passarela de moda com luzes, telão, DJ e projeção.


Compuseram o júri a coordenadora do curso de moda, Maísa Abranches, e a professora Lina de Albuquerque, a instrutora líder do curso de moda do SENAI, Samanta Farias e a gerente de educação, Valéria Luciene, as influencers Marcella Di Donato e Luly Mello e o coordenador de Atendimento ao Cliente, Diego Banzer, a coordenadora de Sala VIP, o gerente de Serviços ao Cliente, Caio Cunha e o vice-presidente da Juan Djedjeian.

O voto de cada instituição e influencer valia 15 pontos. Uma votação do público foi feita pelo site da Inframerica, que definiu o look da Ludymila Santana como o melhor, e a presenteou com 10 pontos. Mas o grande vencedor da noite, Carlos Eduardo Gonzaga, foi o mais votado entre os jurados, somando mais pontos e superando os demais candidatos.

Eduardo recebeu um cheque no valor de R$ 8 mil reais e a chance de vestir cerca de 50 funcionárias do Aeroporto de Brasília. “Vou investir esse dinheiro na minha marca autoral Eduardo Gonzaga. Aliás, o vestido do concurso foi a primeira peça que eu fiz com a etiqueta da minha marca. Estou muito orgulhoso”, diz.

O Concurso

O Concurso Alpha Charlie recebeu mais de 80 inscrições de estilistas de todo o Brasil. Para ajudar na escolha dos melhores uniformes, professoras do Instituto de Educação Superior de Brasília (IESB) e do Sistema Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) ajudaram na avaliação e análise de cada croqui dos participantes. Depois de muitas avaliações, definiu-se os 5 finalistas que tiveram pouco mais de um mês para desenvolver a peça piloto e apresenta-la no desfile.

DEIXE UMA RESPOSTA