Enquanto a Emirates está topando antecipar as entregas do Airbus A380, a sua concorrente Etihad Airways está rejeitando ao máximo operar com essas aeronaves.

Durante um webinar promovido pelo site SimpleFlying, nesta última terça-feira (31), Tony Douglas que é presidente-executivo da Etihad, disse que o avião é “economicamente inviável” para a companhia, e que não deverá permanecer na frota.

Airbus A380 Etihad Airways
Foto – Etihad/Reprodução

“O Airbus A380 simplesmente não faz mais sentido econômico”, disse Douglas durante o webinar, citando que prefere operar atualmente com o Airbus A350 e o Boeing 787.

Este último avião citado, o 787, é capaz de fazer dois voos e meio, com o custo de um voo realizado pelo Airbus A380, de acordo com o presidente da Etihad. O A380 é capaz de levar até 494 passageiros, enquanto o 787-9 pode levar até 299 passageiros. Em dois voos a Etihad consegue “gastar” menos, e transportar mais pessoas.

Boeing 787. Foto: Etihad

A única ocasião para o Airbus A380 ser lucrativo, de acordo com Douglas, é em caso de retorno completo das rotas de altíssima demanda, com taxa de ocupação alta, acima de 80%.

“Estamos desesperadamente desapontados por não termos o A380 operacional em nossa frota. Do ponto de vista da experiência do passageiro, foi excelente”, explicou Douglas.

Antes de paralisar as operações, a Etihad tinha 10 aviões Airbus A380 na sua frota, sendo o primeiro fabricado em 2014, contra 39 aviões Boeing 787 que a companhia tem atualmente e as encomendas para 20 aviões A350-1000, que estreará em 2022.

 

DEIXE UMA RESPOSTA