Exatamente 1880 funcionários da Boeing em Seattle aceitaram a proposta da empresa de demissão voluntária, essa informação foi repassada por um sindicato de metalúrgicos da região na quinta-feira (02/03). A demissão contempla funcionários responsáveis pela montagem das aeronaves e também de engenheiros da empresa.

A união de maquinistas da Boeing afirmou que cerca de 1575 trabalhadores haviam feito o pedido de demissão voluntária até a data-limite em fevereiro, outros 305 funcionários da empresa assinaram o termo em janeiro. Só em 2016 a Boeing cortou 1200 empregos, cerca de 850 foram através de demissões voluntárias e 350 por corte geral.

A Boeing agora espera cortar o mesmo número de empregos em 2017, porém não há uma perspectiva de redução para a parte de aviões comerciais, no momento a Boeing só tem um planejamento de corte visando toda a empresa, apesar do setor de aeronaves comerciais da Boeing ter a situação mais crítica nesse momento. Em 2016 a Boeing demitiu 8% dos funcionários do setor de aeronaves comerciais da empresa.

Atualmente os pedidos firmes da Boeing suportam manter a produção por quase 10 anos sem nenhuma encomenda adicional, somente mantendo a taxa de entrega atual. O lucro da Boeing deverá se manter em alta durante 2017, a receita estimada é de US$ 92,5 bilhões, e a quantidade de aeronaves fabricadas deve variar entre 760 e 765 unidades para o setor de aviação comercial, as aeronaves encomendadas estimadas para 2017 serão equivalentes as de 2016.

 

Informações via – Reuters

Texto – Aeroflap