Antonov An-225 Ucrânia
Foto: Dubai Airport

A China tem buscado a preferência de compra da fabricante de motores Motor Sich. A Motor Sich é ucraniana e fabrica motores para os maiores aviões do mundo, sendo o Antonov 124 e o Antonov 225.

A Ucrânia não está muito disposta a fazer negócio com a China para vender sua fabricante de motores. Entretanto o imbróglio é ainda maior pois a Motor Sich enfrenta dificuldades financeiras, especialmente depois da crise entre a Ucrânia e a Rússia. Após o ‘conflito’ em 2014, a fabricante nunca mais conseguiu vender tantos motores para a Rússia.

Desde 2017 a China tenta comprar a Motor Sich, tendo sua primeira proposta no valor de US$ 250 milhões. A mesma foi recusada assim como as propostas de 2018 e 2019, os órgãos reguladores da Ucrãnia não facilitaram a compra pela China.

A recorrente procura da China chamou atenção até dos Estados Unidos, pois o país norte-americano entende que a China pretende reforçar sua construção de aeronaves civis e equipamentos militares. Atualmente não há nenhuma fabricante de motores no país, e com isso a China tem de recorrer a outros países com a Rússia e a própria Ucrânia.

O até então Secretário de Estado dos Estados Unidos, Michael Pompeo, se disse preocupado com os investimentos da China. “Há preocupações em relação ao investimento maligno da China na Ucrânia, incluindo os esforços de Pequim para adquirir o fabricante de motores Motor Sich”.

O presidente da Ucrânia reforçou que durante o seu mandato não irá facilitar ou vender a Motor Sich. “Não temos o direito de vender o controle acionário das empresas de defesa estratégica da Ucrânia a nenhum país. Durante o meu mandato, este não será o caso.” Disse Volodymyr Zelensky, presidente da Ucrânia.

No final de janeiro o Serviço de Segurança do Estado da Ucrânia (SBU) entrou em uma reunião de acionistas da Motor Sich que tinha participação de investidores chineses. O serviço de segurança interveio com receio de que os ativos e outras tecnologias fossem levadas para outros países. 

“A China sempre se opôs aos países estrangeiros que impõem sanções unilaterais às empresas chinesas”, ao mesmo tempo, sempre exigimos que as empresas chinesas operem no exterior dentro da lei.” Disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Wang Wenbin. 

Os investidores chineses entraram com uma ação para recuperar cerca de US$ 3,5 bilhões da Ucrânia. A China é uma das principais parceiras de exportação de produtos, problemas na relação politica e econômica entre os países poderá ser prejudicial a Ucrânia. 

 

Fonte: Aerotime