Querosene de Aviação QAV ABEAR Combustível

Devido ao grande volume de combustível que os aviões consomem, achar uma alternativa sustentável e independente do petróleo para as aeronaves é algo bastante complicado. Mas a resposta pode estar em uma cadeia de carbonos produzida por uma bactéria.

Cientistas descobriram que a bactéria ‘streptomyces’ consegue produzir moléculas de carbono, chamadas de fuelimicina, bem similares as do querosene refinado a partir do petróleo. Para obter a produção, é preciso somente alimentar as bactérias com glicose, amplamente disponível no mercado.

Pablo Cruz-Morales, microbiologista da DTU Biosustain, disse que a partir dos carbonos é possível metabolizar um combustível sustentável para a aviação. Contudo, os estudos nessa área ainda estão no início, e os cientistas precisam descobrir como escalar a produção, para o enorme volume que as aeronaves necessitam e ao mesmo custo.

Bactéria streptomyces

“À medida que [as bactérias] comem açúcar ou aminoácidos, elas os quebram e os convertem em blocos de construção para ligações carbono-carbono. Você engorda em seu corpo da mesma maneira, com a mesma química, mas esse processo bacteriano tem algumas reviravoltas muito interessantes”, disse Cruz-Morales.

“Vamos ficar sem combustíveis fósseis e chegará um ponto, não muito longe de agora, em que precisaremos de soluções alternativas”, pontuou Cruz-Morales, afirmando que em breve precisaremos de um combustível autossuficiente para a aviação, sem a dependência do petróleo que tem estoque limitado.

A mesma bactéria também pode gerar biodiesel, a partir de tratamentos específicos. O combustível final criado a partir da bactéria pode ter um poder calorífico, ou seja, quantidade de energia fornecida em uma combustão maior do que o insumo fóssil utilizado atualmente.

 

Via: EuroNews e Nature