Belavia Aerolíneas Argentinas Boeing 737 MAX
Foto: Nick Sheeder via Jetphotos

Após 4 anos do recebimento do seu último Boeing 737 Max, a Aerolíneas Argentinas está recebendo hoje (25) a sexta aeronave do jato de última geração que irá compor a sua frota. 

Apesar de a aeronave possuir a matrícula LV-KEJ, a sua fuselagem conta com a pintura do seu antigo operador que nem sequer chegou a operar o avião. Trata-se da Belavia, empresa estatal da Bielorrússia. 

Antes de chegar em Buenos Aires, a aeronave decolou de Boeing Field (BFI) nas proximidades de Seattle, com uma parada técnica em Punta Cana (PUJ), para então seguir até o seu destino. 

Acompanhe o voo abaixo, ou clique aqui (Flightradar24):

 

 

Diferente da indiana Jet Airways que chegou a encomendar o MAX, mas não operou após decretar falência, a Belavia vem enfrentando desde o ano passado uma série de sanções após o país ter forçado um avião da Ryanair a pousar em seu território para prender um jornalista crítico ao governo local.  

Por conta disso, a Bielorrússia sofreu o banimento de sobrevoo sobre o seu espaço aéreo, bem como entrou para a lista negra por parte da União Europeia, incluindo o fim de contratos de arrendamentos de jatos, a exemplo do Embraer E2 e o Boeing 737 MAX. 

Com a proximidade da Bielorrússia com Moscou após a invasão russa no território ucraniano, é bastante provável que a Belavia sofra mais sanções, o que forçará a empresa a focar nas operações com aviões soviéticos.