Foto - COMAC/Reprodução

Mesmo com o reforço do 4º avião C919 de testes, a chinesa COMAC atrasou novamente a certificação da sua aeronave, após vários atrasos em testes de voo e solo, como o novo C919, assim como na produção dos protótipos.

O programa de desenvolvimento do novo avião já passou da fase de desenvolvimento para a certificação, porém a mesma deverá ocorrer somente em 2021, ante o prazo de 2020 apresentado pela empresa em 2018. Originalmente o projeto do C919 deveria ser certificado entre 2016 e 2017.

As primeiras entregas que se iniciariam em 2021, serão realizadas agora em 2022.

Foto – COMAC/Reprodução

Ao todo, o programa de testes de voo da Comac utilizará seis aeronaves para testes de voo e duas para testes estáticos, sendo uma somente para testes de sistemas em solo.

O COMAC C919 é bem semelhante com o A320 da Airbus, medindo 38,9 metros de comprimento, 35,8 metros de asa, altura de aproximadamente 12 metros e largura de cabine de 3,9 metros. No geral está disposto 3 versões para compra que alcança de 156 passageiros até 174 quando em configuração de 1 classe com alta densidade, o seu projeto tem participação de empresas americana e europeias para construir diversos sistemas da aeronave, outro passo para a ocidentalização do COMAC.

A aeronave tem uma autonomia de 4075 km. Uma versão de longo alcance pode voar até 5555 quilômetros.

A fabricante espera produzir cerca de 2000 aviões e já recebeu mais de 700 encomendas provenientes de 23 clientes, a maioria companhias aéreas da China que ganharam incentivo para comprar o jato. O C919 concorre diretamente com o 737 MAX 7 e o Airbus A320neo em capacidade de passageiros.


DEIXE UMA RESPOSTA